Após anunciar sua aposentadoria por conta das lesões, Walter Montillo está procurando clube para jogar. Em entrevista ao “La Tercera”, principal portal esportivo do Chile, o meia fez um mea culpa sobre não ter conseguido ajudar o Botafogo nesta temporada. Para ele, a ansiedade de voltar logo aos gramados acabou comprometendo sua passagem pelo Alvinegro.

– Foi culpa minha. Cheguei ao Botafogo em janeiro como principal reforço para a Libertadores, quase não fiz a pré-temporada e comecei a jogar. Depois, quando me lesionava, queria voltar rapidamente a jogar. E assim acabou: nenhuma lesão cicatrizou totalmente – disse Montilo, que justificou a decisão de não ficar no Brasil:

– É por causa do meu filho Santino. Ele tem Síndrome de Down, está com sete anos e o português o complica para que ele consiga evoluir. O psicólogo dele me disse que o ideal para ele é viver num país onde se fala espanhol.

Na longa entrevista o “La Tercera”, Montillo mostrou mágoa com a Universidad de Chile, clube no qual é ídolo. Ele lembrou a paciência da tocida da La U quando do nascimento de Santino, em que teve que se ausentar alguns períodos por causa das doenças decorrentes à Síndrome de Down, mas lamentou não ter sido procurado por nenhum dirigente.

– Lamento que a diretoria da La U não abra seus braços nem um pouquinho. O clube me deu muitas coisas boas, mas eu também dei coisas boas ao clube. Acreditava que por conta desse vínculo poderia acontecer um retorno, mas bem… Às vezes você espera coisa de volta que não chegam. Lá dentro tem alguém que não quer que eu volte.

O destino de Montillo deve ser o Unión Española, comandado pelo ex-atacante argentino Martín Palermo. O clube terminou em segundo no Torneio Transición, após vencer o Everton por 2 a 0 neste sábado (a entrevista foi antes da rodada).

– Há uma grande possibilidade. Mas ainda não falei com Palermo, e é claro, porque estão definindo o campeonato, estão disputando o título. Vamos ver como termina tudo.

Fonte: Redação FogãoNET e La Tercera