Aos 35 anos, Jefferson já deixou o terreno preparado em relação à sua aposentadoria, anunciada há meses para dezembro. No entanto, o discurso do hoje titular goleiro do Botafogo está sendo alterado, ao que parece, há mais ponderações quanto à decisão de encerrar a carreira.

Nesta quinta-feira, por exemplo, Jefferson não foi incisivo quanto ao término de sua trajetória. Tanto que usou o termo “a princípio” para finalizar a seguinte questão na entrevista coletiva, após o treino no campo anexo do Nilton Santos – local em que saiu como destaque do clássico contra o Fluminense, na segunda.

– A questão da aposentadoria, estou bem ciente da decisão que eu tomei. Quero parar por cima, feliz, há muita coisa para acontecer até o final do ano, mas vamos jogo a jogo. Tem dois tipos de aposentadoria: a que você se aposenta e a que o time aposenta você. Posso ficar em uma oscilação, quando vou bem, sigo confiante em jogar mais, quando vou mal, acabo pensando em parar. A princípio vou parar no fim do ano – disse o ídolo alvinegro, completando:

– Nunca falei de parar por questão de idade. Até porque, 35 anos pode ser considerado novo ainda, para goleiro. Quando você fica parado um bom tempo, você acaba perdendo espaço, prestígio. A questão de não estar jogando, só treinando, eu me cobro muito por aquilo que eu represento ao Botafogo. Tenho que pensar em mim, na minha família… Envolve muita coisa, não só dinheiro – concluiu o raciocínio.

Fonte: Terra