Se Jair Ventura poupar os titulares no clássico contra o Flamengo no Estadual não será o primeiro confronto entre titulares rubro-negros e reservas alvinegros. No Carioca de 1997 o Botafogo chegou na última rodada da Taça Guanabara já classificado para a final e poupou todos seus titulares. O Flamengo, que contava com craques como Romário e Sávio, entrou confiante. Acabou perdendo por 1 a 0, gol de Renato Carioca, que até hoje é lembrado pela partida.

— Era o time mais reserva que eu já vi, incluindo goleiro e treinador — conta Renato, relembrando que até Joel Santana, técnico do time na época, foi “poupado”: — E o Flamengo só precisava de um empate para eliminar o Vasco e jogar à final contra a gente, o Eurico reclamou a semana inteira, imprensa falou, ninguém confiava.

Com propriedade no assunto, Renato sabe que os reservas do Botafogo de hoje tentarão repetir a história de 20 anos atrás:

— O reserva joga com plena confiança, a desconfiança fica mais para o torcedor. Quem vai jogar encara como um jogo normal, e sempre acha que tem condições de vencer.

Curiosamente, o algoz rubro-negro é também identificado com o Flamengo. O jogador foi o maior artilheiro do time em 1989, e até hoje joga no master da Gávea, mas não consegue escolher um lado: é que seu pai, conhecido como Seu Mané, em homenagem ao craque Garrincha, é um botafoguense fanático.

— Em 1997 meu pai ficou maluco. Não só porque meu gol venceu o Flamengo daquele jeito, mas também porque fomos campeões daquele Carioca. Foi demais — comemora Renato.

Fonte: Extra Online