A notícia de que Roger já estaria acertado com o Botafogo não caiu bem na Ponte Preta, que pode afastar o atacante de 31 anos. Mas o que o torcedor botafoguense quer saber é o que esperar do terceiro maior artilheiro do Brasil em 2016.

Os 22 gols anotados em toda a temporada são atestado do faro de gols do jogador, criado na base da própria Ponte Preta. Roger começou o ano no Red Bull Brasil, e foi destaque do time no Campeonato Paulista: foram 11 gols em 15 jogos.

Na equipe campineira, marcou três vezes na Copa do Brasil e é vice-artilheiro do time na Série A. Foram oito gols marcados em 26 jogos – sendo que foi titular em 19. E se a Ponte ainda sonha com vaga no G-6, deve muito ao atacante. Se o goleador da Macaca é William Pottker (11 gols), Roger participou no mesmo número de tentos: cada um foi decisivo para o alvinegro de Campinas balançar as redes 15 vezes – Roger deu cinco assistências, contra três de Pottker.

Trazido para aumentar a concorrência com Sassá – que pelo excelente desempenho no Brasileirão vem despertando interesse de outros clubes -, Roger é um típico centroavante. Em todos os jogos nos quais deixou sua marca nesta Brasileirão, jogou como principal referência de ataque.

Em um total de 36 arremates arriscados, 17 foram na direção do gol (47% de aproveitamento) e destes 17 oito estufaram as redes (22% de taxa de conversão). Apesar dos 31 anos e de ser um típico camisa 9, Roger também recua para abrir espaços para os companheiros de time.

Caso Sassá fique em General Severiano na próxima temporada, os dois também podem atuar juntos em determinadas ocasiões. Assim como faz Pottker na Ponte Preta, Sassá também sabe jogar mais aberto, circulando na área.

Levando em consideração a quantia que o Glorioso pode usar para contratações, Roger é uma boa contratação pensando no ano que vem!

Fonte: Goal.com e Yahoo! Esportes