Oswaldo pede cuidado com Hyuri: ‘Para não ser só espasmo’

Compartilhe:

A atuação de excelência de Hyuri na vitória do Botafogo por 3 a 1 sobre o Coritiba, nesta quinta-feira, no Maracanã, concentrou toda a atenção no garoto, de 21 anos. Foi apenas o seu primeiro jogo com a camisa do clube depois de disputar o Campeonato Carioca pelo Audax. Por isso, o técnico Oswaldo de Oliveira pede cuidado.

Hyuri tem menos de um mês de Botafogo e foi contratado por empréstimo até maio do ano que vem. Sua chegada aconteceu para aumentar o número de opções em uma posição que havia sofrido uma série de baixas, como as saídas de Fellype Gabriel, Andrezinho e Vitinho.

– Hyuri me chamou a atenção no Carioca. Vi nele virtudes e competência para aquilo que a gente gosta. Confesso que ainda era cedo para escalá-lo, pois gosto de fazer de uma forma mais gradativa. Contra o São Paulo, trouxe o Hyuri para o banco e não era para entrar, apenas para se ambientar. Mas precocemente preencheu o espaço que nós queríamos. É preciso ter cuidado suficiente para que continue a render e não ser apenas um espasmo – disse Oswaldo.

Hyuri comemoração do Botafogo contra o Coritiba (Foto: Vitor Silva / SSPress)
Hyuri comemorou muito com a torcida do Botafogo no terceiro gol (Foto: Vitor Silva / SSPress)

Segundo o treinador, a contratação de Hyuri foi feita dentro de um planejamento que vai além do campo. As experiências do ano passado serviram para Oswaldo não se prender apenas ao desempenho do jogador com a bola nos pés.

– Todo jogador que vem para o Botafogo passa por um levantamento para diminuir a margem de erro. Não adianta só ter habilidade. Há recordações no próprio Botafogo de que não adianta ser excelente somente com a bola. Precisa ter consciência, ser disciplinado e obediente. Hyuri traz esse respaldo. Não é comum o que aconteceu neste jogo, mas ele está preparado para permanecer equilibrado e estar em condições de repetir nos próximos jogos – comentou o treinador.

A comparação com Vitinho, que foi para o CSKA Moscou na semana passada, se torna inevitável. Oswaldo, por enquanto, só espera que o destino não seja o mesmo tão rapidamente.

– Espero que não ultrapasse a fronteira com a Rússia tão cedo – brincou o treinador, que manterá o jovem no time para o confronto com o Criciúma, domingo, em Santa Catarina.



Fonte: Globoesporte.com
Comentários