Pacotão do Bota: blitz no 1º tempo, lance bizarro, vacilo de Lucas Zen e defesa no fim

Compartilhe:

O empate saiu com um gosto muito amargo para o Botafogo. Afinal de contas, o time passou a impressão de que venceria facilmente o clássico contra o Vasco, já que abriu 2 a 0 no primeiro tempo com uma blitz impressionante. No restante da etapa inicial, o rival pouco fez. Mas no segundo tempo o time se surpreendeu com a reação vascaína, comandada por Juninho Pernambucano. Os dois gols saíram de bola parada, sendo que um dos escanteios foi originado de um vacilo de Lucas Zen.

Apesar de ter ficado aborrecido com o empate, Oswaldo de Oliveira sabe que a situação poderia ter sido bem pior. Afinal de contas, no último minuto da partida Jefferson mostrou por que é goleiro de seleção brasileira com uma defesa espetacular após cobrança de Juninho Pernambucano. Melhor um ponto do que nada.

A BLITZ
O primeiro gol do Botafogo saiu aos cinco minutos. Lodeiro cobrou o escanteio, Diogo Silva não conseguiu fazer o corte e a bola sobrou livre para Dankler. O zagueiro chutou e abriu o placar. Mas não parou por aí. O time pressionou a saída de bola do Vasco e Lodeiro ampliou. O uruguaio chutou, Diogo Silva bateu roupa e a bola sobrou para o próprio Lodeiro ampliar. Uma blitz impressionante do Glorioso: foram dois gols marcados em 53 segundos.

o lance bizarro
O lance mais curioso da partida foi protagonizado por Edilson. O lateral-direito se preparou para cobrar um escanteio, mas acabou chutando grama e vendo a bola subir de maneira bizarra direto para a linha de fundo. Foi grama para tudo que é lado. Esta não é a primeira vez que algo do tipo acontece. Na vitória sobre o Flamengo, no domingo anterior, o goleiro Renan também fez a grama voar ao bater um tiro de meta. Sinal de que o campo do Maracanã precisa de manutenção.

o finalizador
Com cinco finalizações, Gegê foi uma das principais armas do Botafogo na partida. Seus chutes assustaram Diogo Silva e obrigaram o goleiro a realizar defesas que no fim foram muito importantes para que o Vasco conseguisse o empate. No total, o Botafogo arrematou 22 vezes ao longo do clássico. O segundo maior finalizador do Alvinegro foi o uruguaio Lodeiro, com quatro conclusões ao longo da partida.

O Vacilo
Lucas Zen fazia a proteção da bola para que ela saísse em linha de fundo e o Botafogo ganhasse o tiro de meta. Apertado por Juninho Pernambucano, o volante acabou se enrolando todo e cedendo o escanteio para o Vasco. Na sequência, o Reizinho bateu o tiro de canto com perfeição e Jomar fez o primeiro gol vascaíno, dando início à reação que terminou no empate por 2 a 2 no Maracanã. 

A defesa
Uma falta na entrada da área do Botafogo foi marcada aos 47 minutos do segundo tempo. Juninho Pernambucano, um especialista em bolas paradas, se posicionou. Como Jefferson disse após o apito final, dali é pênalti para o camisa 8 vascaíno. No entanto, apesar da cobrança perfeita, o goleiro botafoguense voou e evitou o gol mantendo o empate em 2 a 2 no placar.

Fonte: Globoesporte.com

Comentários