Pacotão do Bota: Renan vai bem, vacilos de Lodeiro e noite ruim de Rafael Marques

Compartilhe:

O Botafogo fez uma partida interessante nesta quinta-feira, no Barradão, e criou bastante. Não venceu ou empatou porque o Vitória foi ainda mais incisivo. Além disso, esbarrou numa noite não tão inspirada de Rafael Marques, em muitos erros de passe e num retorno apagado de Lodeiro. A derrota por 1 a 0 aumenta a distância para o líder Cruzeiro para 13 pontos, porém teve de positivas as atuações de Renan e Seedorf. Os alvinegros, agora na quarta colocação do Brasileiro, terão a chance de recuperação no clássico contra o Vasco, às 18h30m de domingo.

 Esforço em vão

O uruguaio Lodeiro mostrou muito empenho ao jogar depois de viagem de Montevidéu – onde defendeu a seleção local na terça-feira – para Salvador. Em campo, contudo, tudo deu errado. Logo aos seis minutos perdeu chance incrível, livre na área. Depois disso, impediu gol de Seedorf ao desviar chute do companheiro. Para completar, levou cartão amarelo bobo ao chutar bola para o gol em lance que a arbitragem já havia marcado impedimento.

O chute de primeira

Herói da vitória contra o Flamengo, Rafael Marques protagonizou lance muito semelhante a um ocorrido no clássico de domingo. Completou de primeira longa virada de bola. Diante do Fla, recebeu de Seedorf e carimbou a trave direita de Felipe. Nessa quinta-feira, foi a vez de Edílson cruzar na medida para Rafael emendar bonito. A bola mais uma vez quase resultou em gol, desta vez tirando tinta da trave esquerda do goleiro Wilson.

O paredão

Em seu último jogo antes do retorno de Jefferson, Renan teve atuação de gala contra o Vitória. Fez quatro grandes defesas, com destaque para intervenção em bomba de Renato Cajá. Aliás, chute forte não o assustou. No segundo tempo, Marcelo soltou um petardo, e Renan pegou bonito. Além da boa atuação debaixo das traves, tirou onda ao matar no peito bola que Dória recuou com força impressionante.

OS erros DE PASSE

O Botafogo errou muitos passes contra o Vitória. Foram 45 (em 226 tentativas), 20 a mais do que o adversário. O trio formado por Edílson, Julio Cesar e Seedorf dividiu o posto de líder no quesito, com sete erros cada. Contra o Flamengo, o time errou menos e tocou muito mais a bola: foram 41 erros em 385 passes realizados. E na ocasião foi Seedorf quem mais errou – foram sete.

O maestro
Apesar de ter sido o líder em erros de passes, Seedorf, a exemplo do ocorrido contra o Flamengo, jogou muito bem. Quase fez um belo gol e se destacou em seu fundamento principal: os lançamentos. Deu duas oportunidades de ouro para Rafael Marques. No primeiro tempo, o camisa 20 até conseguiu bom drible após receber o passe, mas chutou mal. Já na etapa final, o holandês cruzou na medida, e Rafael, livre na pequena área, cabeceou para fora.

Fonte: Globoesporte.com

Comentários