Pacotão do Botafogo: falhas de Bolívar, Seedorf irritado e marca na canela de RM

Compartilhe:

Os sinais estavam presentes, e o Botafogo sofreu com eles na derrota por 2 a 1 para o Internacional, a terceira nos últimos cinco jogos pelo Campeonato Brasileiro. O resultado em Caxias do Sul nesse domingo não fez o time perder posições, mas aproximou ainda mais Goiás e Vitória na briga por uma Taça Libertadores do ano que vem.

O momento não é mesmo bom para o Botafogo. Antes símbolo de segurança, o zagueiro Bolívar, com história de sobra no Internacional, saiu de campo como vilão ao falhar nos dois gols. No primeiro, de forma até bisonha.

A canela marcada de Rafael Marques, a discussão de Seedorf com Heber Roberto Lopes, o gol de Dória e a impotência para roubar a bola do adversário completam o pacotão. Confira.

A CANELA MARCADA

O jogo tinha pouco mais de um minuto de bola rolando. No entanto, logo foi possível perceber que o confronto entre Internacional e Botafogo seria quente em Caxias do Sul. Em uma jogada quase na altura do meio do campo, pelo lado esquerdo de ataque, Rafael Marques recebeu uma entrada forte do lateral-direito Ednei, que deixou uma marcada em sua canela, já próximo ao joelho direito. Sequer foi marcada a falta, e o Botafogo ficou apenas com o lateral a seu favor.

SEEDORF X HEBER

O holandês diz que gosta de conversar com os árbitros. Dessa vez, a reclamação de uma falta originou uma discussão com o árbitro Heber Roberto Lopes, dando uma demonstração da tensão que vive o Botafogo no momento. No fim do embate, o lateral-esquerdo Julio Cesar também entrou e conversou com os dois. Nenhum cartão amarelo foi mostrado na jogada. Seedorf estava pendurado e poderia ser suspenso, ficando fora do confronto com a Portuguesa, quarta-feira.

AS FALHAS DE BOLÍVAR

Considerado símbolo de segurança na defesa do Botafogo, o zagueiro Bolívar, ídolo do Internacional, terminou o jogo como vilão da derrota por 2 a 1 para o clube gaúcho, em Caxias do Sul, falhando nos dois gols. No primeiro, enrolou-se todo para cortar uma bola fácil e deixou que ela sobrasse livre para Jorge Henrique. Depois, no segundo, perdeu no alto para Jackson em uma cobrança de escanteio de D’Alessandro. Ele teve seu nome gritado pela torcida do Internacional.

O PRESENTE SEM FESTA

O zagueiro Dória completou 19 anos na sexta-feira e, como havia o jogo com o Internacional dois dias depois, em Caxias do Sul, a comemoração foi comedida. A expectativa era de festa com uma vitória e quem sabe um gol. Ele acabou conseguindo fazer o gol, que então empatava o jogo por 1 a 1. No entanto, Jackson estragou a chance de festejar mais uma vez o seu aniversário ao fazer o segundo gol do clube gaúcho.

A FALTA DE DESARME

No fim do jogo deste domingo, em Caxias do Sul, o Botafogo demonstrou incapacidade de roubar a bola dos jogadores do Internacional, que venceu por 2 a 1. D’Alessandro e Jorge Henrique, principalmente, fizeram uma boa proteção na linha de fundo durante os três minutos de acréscimo no segundo tempo e trocaram passes com precisão, impedindo o time carioca de tentar uma reação nos minutos finais do confronto.



Fonte: Globoesporte.com
Comentários