Pacotão do Botafogo: juiz cansado, cara fechada de Seedorf e cavada de Elias

Compartilhe:

Nem parecia que Goiás e Botafogo faziam um confronto direto por vaga na Libertadores. No Serra Dourada, as equipes protagonizaram um jogo sem muitas emoções, e o Alvinegro levou a pior, sendo castigado com um gol de Eduardo Sasha, com boa contribuição de Lucas Zen, no fim. O time sofreu pressão dos donos da casa, principalmente na etapa final, e foi salvo pelas boas defesas de Jefferson. Assim, o 1 a 0 na 32ª rodada até que ficou de bom tamanho, já que as poucas chances de gol foram desperdiçadas por Rafael Marques e Elias. No fim do primeiro tempo, o atacante ainda tentou cavar um pênalti, mas o árbitro não caiu.

Apagado, Seedorf deixou o campo com cara de poucos amigos e foi substituído por Lodeiro, que não teve atuação muito diferente da do holandês.  E se o futebol das duas equipes foi para lá de morno, o clima em Goiânia estava quente, e nem mesmo o árbitro Sandro Meira Ricci resistiu, precisando pedir um tempo aos 25 minutos da etapa final.  

Cavada polêmica

Um lance polêmico marcou o fim do primeiro tempo da partida. Aos 43 minutos de jogo, Elias recebeu a bola, driblou a marcação e, ao tentar cortar também o goleiro Renan, que se jogava para tentar pegar a bola, caiu na área. As imagens mostram que o atacante alvinegro começou a cair antes da chegada do goleiro esmeraldino e, segundo Arnaldo Cézar Coelho, este fato caracterizaria simulação. Assim, ainda de acordo com o comentarista de arbitragem da Rede Globo, o árbitro Sandro Meira Ricci acertou ao não assinalar o pênalti.

Chances perdidas

A primeira grande oportunidade de gol do Botafogo na partida veio logo após a polêmica da queda de Elias na área. Na sequência do lance, Rafael Marques pegou o rebote e chutou para o gol vazio, mas Renan ainda teve tempo de se recuperar e fazer a defesa. No início do segundo tempo, aos oito minutos, foi a vez de Elias perder boa chance. O atacante recebeu passe preciso de Julio Cesar, mas finalizou em cima de Amaral. Aos 41 minutos, Elias, novamente, chutou em cima da marcação. O jogador fez tudo certo. Roubou a bola no meio de campo, avançou rumo à área, mas, na hora do chute… No total, o Botafogo finalizou nove vezes, contra 12 do Goiás. Elias foi o responsável por três desses chutes.

São Jefferson

Diante das 12 finalizações e da pressão do Goiás na etapa final, o Botafogo poderia ter perdido por mais gols, não fossem as defesas de Jefferson. Na mais bonita delas, aos 12 minutos do segundo tempo, o goleiro alvinegro tirou com os pés chute de Sasha cara a cara com o gol. Logo depois, aos 16, ele evitou gol de Wellington Júnior. No primeiro tempo, o arqueiro da Seleção já havia salvado a meta alvinegra em mais uma tentativa de Sasha. O garoto do Goiás arriscou de longe, e Jefferson deu um tapa com a mão direita jogando a bola para escanteio. 

Poucos amigos

Pouco produtivo nos 62 minutos em que ficou em campo, Seedorf foi substituído por Lodeiro, e não gostou. Ao ver a placa subir com o número 10, o holandês, que percorreu 5,7km, não finalizou uma vez sequer, levantou cinco bolas e deu 30 passes (sendo 27 certos), saiu lentamente para deixar o campo com semblante fechado. Lodeiro, que entrou em seu lugar, também não conseguiu fazer o time melhorar o rendimento.

Árbitro também cansa

Logo após Enderson Moreira realizar a última substituição do Goiás, aos 25 minutos do segundo tempo, o árbitro Sandro Meira Ricci, de Pernambuco, paralisou a partida por dois minutos para os jogadores beberem água. A pausa não agradou aos esmeraldinos, que pressionavam o Botafogo naquele momento. Enderson Moreira reclamou muito, alegando que no primeiro tempo, apesar de o sol estar mais forte, não houve paralisação. Mas olhando bem as reações do juiz, é possível perceber que o próprio já não aguentava mais o calor de cerca de 31 graus do Centro-Oeste brasileiro. Confira.

Castigo no fim

Depois de fazer um jogo sem fortes emoções e muitas chances claras de gol, o Botafogo foi castigado no fim e deixou o Serra Dourada derrotado e com uma posição a menos na tabela do Brasileirão. Aos 42 minutos da etapa final, Léo Bonatini cruzou para a área, e Sasha subiu com Lucas Zen, que falhou no lance, e cabeceou para marcar o gol do jogo. Jefferson nada pôde fazer e já não havia mais tempo, nem força para o Glorioso tentar sequer o empate. 



Fonte: Globoesporte.com
Comentários