Primeiro foi Brasília, que recebeu o Fla-Flu do último fim de semana. Nesta quarta-feira, será a vez do Espírito Santo entrar no mapa do Campeonato Carioca ao receber o clássico entre Botafogo e Fluminense. Mas o estado vizinho do Rio de Janeiro está longe de ser um desconhecido dos clubes cariocas, que frequentemente em sua história mandaram partidas no estado, mesmo quando não havia problemas como o fechamento do Maracanã.

Como toda relação, a do futebol carioca com o Espírito Santo tem bons e maus momentos. E o mais dramático de todos foi protagonizado pelo Fluminense. Na reta final do Campeonato Brasileiro de 1996, o time tricolor corria sério risco de ser rebaixado pela primeira vez para a segunda divisão. Para evitar a queda, o time tricolor precisava vencer o Vitória e ainda torcer para que o Flamengo não perdesse para o Bahia, em São Januário.

O time tricolor tinha o ainda jogador Renato Gaúcho como técnico interino e diante de uma torcida tricolor que foi ao estádio Engenheiro Araripe para apoiar a equipe na luta contra a queda. Em campo, o Flu fez sua parte com a vitória por 3 a 1, gols de Tupãzinho, Paulo Roberto e Leonardo, mas a derrota rubro-negra por 1 a 0 no Rio sacramentou o rebaixamento tricolor. O Flu acabaria disputando a primeira divisão no ano seguinte, quando novamente seria rebaixado, por causa do escândalo de arbitragem denunciado em maio de 1997.

Um ano antes, o Fluminense então campeão estadual estava na disputa do título brasileiro quando foi ao estádio Kléber José de Andrade, palco do clássico desta quarta-feira, para enfrentar o Vitória por 2 a 1.

CLÁSSICO NO ESPÍRITO SANTO

Naquele Brasileiro, vários jogos de times cariocas foram disputados em Cariacica, na grande Vitória por conta de um acordo com a Federação de Futebol do Espírito Santo, que bancava as partidas dos times do Rio. A Federação bancava as despesas de viagem tanto dos times cariocas, quanto dos seus adversários e ainda oferecia cota aos clubes. Além disso, os clubes cariocas enfrentavam dificuldades de acerto financeiro com a direção do Maracanã.

Por isso, o Fluminense enfrentou, além do Vitória, o Grêmio, enquanto o Flamengo jogou contra o Vitória e o Cruzeiro na cidade. Os rubro-negros receberam R$ 120 mil por jogo, enquanto o Vitória ficou com R$ 15 mil e o Cruzeiro com R$ 50 mil. Já o Fluminense recebeu R$ 60 mil e o Grêmio levou R$ 20 mil de cota.

Em dezembro daquele ano, o Botafogo também jogaria no estado, mas no estádio Engenheiro Araripe, no clássico contra o Fluminense pelo segundo turno do Brasileiro. A partida acabou empatada em 1 a 1, com gols de Moisés pelo alvinegro e Valdeir pelo time tricolor. O Botafogo acabaria sendo campeão brasileiro de 1995.

O Botafogo voltaria ao Espírito Santo no ano passado, quando derrotou o Mogi Mirim por 3 a 0 em Cariacica, em jogo válido pela Série B. A partida marcava um reencontro do time com o estado depois de oito anos.

Também no ano passado, Flamengo e Fluminense estiveram em Cariacica. O clube rubro-negro foi para enfrentar um time capixaba. O time goleou a Desportiva por 4 a 0 em um amistoso.

Já a equipe tricolor venceu o Avaí por 3 a 1, pelo Campeonato Brasileiro. O resultado em 22 de novembro foi fundamental para afastar de vez qualquer chance de rebaixamento do Flu, pois naquela altura o time chegava a 46 pontos.

Fonte: O Globo Online