Patrocínio dos irmãos Neto atrai torcedores jovens e até de outros times para o Fogão

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Não era por conta de um treino ou mesmo de um jogo do Botafogo. Cerca de seis mil pessoas foram neste sábado ao estádio Nilton Santos para… tirar fotos com o “youtuber” Luccas Neto — novo patrocinador do Botafogo, ao lado do irmão, o também “youtuber” Felipe Neto. Centenas de pais, muitos deles torcedores de outros times, foram “obrigados” a levar os filhos. O evento só confirmou o poder da dupla, que comprou espaço no uniforme do Botafogo para anunciar a “Neto’s”, empresa alimentícia dos dois. Fabiano Farias, por exemplo, foi com a camisa do Fluminense, acompanhando dois filhos e dois sobrinhos.

— Eles ainda são tricolores, pelo menos por enquanto — brincou Fabiano.

Mas nem sempre é assim. Muitos fãs dos irmãos Neto estão adotando o Botafogo, mesmo que isso signifique trocar de clube do coração.

— As crianças hoje torcem para PSG, Barcelona… E agora você vê crianças com a camisa do Botafogo. Isso vai ser muito importante para a renovação do clube — disse o vice-presidente de Comunicação, Márcio Padilha.

Luccas Neto também percebeu essa tendência:

— Vejo muita gente com pais flamenguistas ou vascaínos, o que eu respeito muito, mas cujos filhos querem virar botafoguenses.

O patrocínio também fortaleceu a paixão de torcedores menos ligados ao clube. Carlos Sabino levou a filha, Caroline, de 8 anos. A vontade de ver Luccas era tão grande que ele se tornou sócio-torcedor na hora só para usar a menor fila.

— Ela é botafoguense e é fã do garoto — disse Carlos.

Resultados nas redes e nas lojas

Dia 24 de novembro, quando o patrocínio foi anunciado, Felipe Neto desafiou Sandro Marinho, vulgo “Jamal”, cinegrafista da “Botafogo TV”. Quando o canal atingisse 100 mil inscritos no YouTube, Jamal precisaria pintar o cabelo com as cores alvinegras. Nesse dia, o perfil tinha 57 mil seguidores. Ontem, chegou a 100 mil — um crescimento de 75% em oito dias. E Jamal cumprirá a promessa esta semana.

A conversa entre os Neto e o Botafogo começou há seis meses, e a intenção inicial era fazer um trabalho nas redes sociais. Só depois a ideia do patrocínio na camisa entrou em questão. Logo após o anúncio, a procura por camisas infantis subiu 500%.

— Nunca imaginei que um patrocínio poderia gerar venda de camisas, nunca tinha visto isso acontecer, foi uma incrível surpresa! Estamos muito empolgados vendo tantos jovens se engajando com o Botafogo e com a Neto’s — disse Felipe Neto.

Ambas as partes querem manter o patrocínio em 2018. Felipe diz que aguarda apenas o início do ano para definir tudo, pois o clube passa por uma troca de gestão.

Notícias relacionadas