Não era por conta de um treino ou mesmo de um jogo do Botafogo. Cerca de seis mil pessoas foram neste sábado ao estádio Nilton Santos para… tirar fotos com o “youtuber” Luccas Neto — novo patrocinador do Botafogo, ao lado do irmão, o também “youtuber” Felipe Neto. Centenas de pais, muitos deles torcedores de outros times, foram “obrigados” a levar os filhos. O evento só confirmou o poder da dupla, que comprou espaço no uniforme do Botafogo para anunciar a “Neto’s”, empresa alimentícia dos dois. Fabiano Farias, por exemplo, foi com a camisa do Fluminense, acompanhando dois filhos e dois sobrinhos.

— Eles ainda são tricolores, pelo menos por enquanto — brincou Fabiano.

Mas nem sempre é assim. Muitos fãs dos irmãos Neto estão adotando o Botafogo, mesmo que isso signifique trocar de clube do coração.

— As crianças hoje torcem para PSG, Barcelona… E agora você vê crianças com a camisa do Botafogo. Isso vai ser muito importante para a renovação do clube — disse o vice-presidente de Comunicação, Márcio Padilha.

Luccas Neto também percebeu essa tendência:

— Vejo muita gente com pais flamenguistas ou vascaínos, o que eu respeito muito, mas cujos filhos querem virar botafoguenses.

O patrocínio também fortaleceu a paixão de torcedores menos ligados ao clube. Carlos Sabino levou a filha, Caroline, de 8 anos. A vontade de ver Luccas era tão grande que ele se tornou sócio-torcedor na hora só para usar a menor fila.

— Ela é botafoguense e é fã do garoto — disse Carlos.

Resultados nas redes e nas lojas

Dia 24 de novembro, quando o patrocínio foi anunciado, Felipe Neto desafiou Sandro Marinho, vulgo “Jamal”, cinegrafista da “Botafogo TV”. Quando o canal atingisse 100 mil inscritos no YouTube, Jamal precisaria pintar o cabelo com as cores alvinegras. Nesse dia, o perfil tinha 57 mil seguidores. Ontem, chegou a 100 mil — um crescimento de 75% em oito dias. E Jamal cumprirá a promessa esta semana.

A conversa entre os Neto e o Botafogo começou há seis meses, e a intenção inicial era fazer um trabalho nas redes sociais. Só depois a ideia do patrocínio na camisa entrou em questão. Logo após o anúncio, a procura por camisas infantis subiu 500%.

— Nunca imaginei que um patrocínio poderia gerar venda de camisas, nunca tinha visto isso acontecer, foi uma incrível surpresa! Estamos muito empolgados vendo tantos jovens se engajando com o Botafogo e com a Neto’s — disse Felipe Neto.

Ambas as partes querem manter o patrocínio em 2018. Felipe diz que aguarda apenas o início do ano para definir tudo, pois o clube passa por uma troca de gestão.

Fonte: Extra Online