Policiais militares do 3º BPM (Méier) prenderam, na noite desta sexta-feira, Rafael Maggio Afonso, de 38 anos. Rato, como é conhecido, é apontado como um dos envolvidos na morte do torcedor do Botafogo Diego Silva dos Santos, então com 28 anos, em fevereiro de 2017. Rafael era vice-presidente da Torcida Jovem do Flamengo na época do crime. Ele foi encontrado trafegando em um Renault Duster prata, na Avenida Pastor Martin Luther King Jr., na altura da saída 5 da Linha Amarela, em Del Castilho.

De acordo com a PM, Rafael estava com outras duas pessoas dentro do carro. Nada foi encontrado no veículo, mas em consulta ao sistema da polícia, foi constatado que havia dois mandados de prisão em aberto contra ele. Um pela morte de Diego e outro por posse irregular de arma de fogo de uso permitido e receptação.

Rafael foi levado, então, à delegacia de Inhaúma (44ª DP) e depois para a Central de Garantias Norte (CG-Norte), na Cidade da Polícia, no Jacaré. Os outros dois ocupantes do carro foram liberados.

O caso

O botafoguense Diego Silva dos Santos foi morto no dia 12 de fevereiro de 2017, em uma confusão antes de um clássico entre Botafogo e Flamengo, no entorno do Estádio Nilton Santos, o Engenhão, pelo Campeonato Carioca. Ele foi agredido até a morte com um espeto de churrasco por oito integrantes da Torcida Jovem do Flamengo.

Rafael foi o último envolvido no crime encontrado pela polícia. O Disque Denúncia estava oferecendo R$ 1 mil a quem desse informações que levassem à sua captura.

Os outros sete participantes do caso já estão presos; são eles: Fábio Henrique Pinheiro, conhecido como Fabinho Playboy; Rogério Silva Guinard; Herbert Vinicius Sabino de Paula; Vitor Portêncio da Silva, o Gringo; Rafael Silveira Camelo, o Rafael Pag; Adonai Dias dos Santos, o Jacó; e Wallace Costa Mota foi preso, o Tabajaras.

Fonte: O Dia Online