A direção da Ponte Preta espera receber nos primeiros dias de janeiro do Cruzeiro o valor correspondente pela ida do volante Bruno Silva ao time mineiro. A expectativa é em torno de R$ 6 milhões, correspondente aos 60% dos direitos federativos que detém o clube de Campinas (SP). A relação é feita em cima dos R$ 4 milhões que serão pagos ao Botafogo pelos 40% dos direitos federativos.

Embora não tenha confirmado os valores do acordo, o empresário do jogador, Carlinhos Sabiá, garante estar tudo certo com a direção pontepretana. O Botafogo, por exemplo, além da compensação financeira, que vai receber até o dia 10 de janeiro, ficará por empréstimo com o atacante Roni, que estava no Japão.

A Ponte Preta teria feito um acerto parecido, recebendo parte em dinheiro e o empréstimo de algum atleta. Um deles seria o atacante Alex Apolinário, que no ano passado se destacou no Copa São Paulo de Futebol Júnior pelo Botafogo, de Ribeirão Preto (SP).

O fato é curioso porque Bruno Silva, de 31 anos, passou pela Ponte Preta em 2013, onde atou 45 vezes e marcou seis gols. Mas acabou liberado após pedido do técnico da época, Guto Ferreira. Depois passou por Atlético Paranaense e Botafogo, ambos por empréstimo.

A ideia inicial da direção paulista era pegar este valor e conseguir um novo empréstimo do também volante Naldo. Mas não chegou a um acordo com o Joinville, que o repassou ao Ceará, novo integrante da Série A do Campeonato Brasileiro em 2018.

O que parece definido é a parceria com o Corinthians para a cessão de duas promessas: o volante Marciel, que também atua como lateral-esquerdo, e o atacante Gabriel Vasconcelos, que joga pelas beiradas. O clube mantém a cautela na busca de reforços, depois da inesperada queda para a Série B do Brasileiro. Este fato deve baixar a receita do futebol de R$ 40 milhões para algo perto de R$ 15 milhões na temporada.

Fonte: Estadão