Pontos, camisa de Dida e lembrança: plano de Jeff no 300º

Compartilhe:

Contra o Grêmio, domingo, em Porto Alegre, pelo Campeonato Brasileiro, o goleiro Jefferson, de 30 anos, viverá um momento especial em sua carreira. Além de ajudar o Botafogo a defender a liderança da competição, ele vai completar 300 jogos com a camisa do clube, pelo qual joga seguidamente desde 2009, e onde conquistou dois títulos cariocas.

Jefferson fez sua estreia com a camisa do Botafogo no dia 20 de setembro de 2003, no empate em 2 a 2 com o São Raimundo-AM, em Manaus, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Ele voltou ao clube em 2009 depois de uma passagem pela Turquia. Os números, no entanto, ficam de lado para o goleiro.

JEFFERSON botafogo treino (Foto: Satiro Sodré / SSPress)
Jefferson diz ser fã de Dida e espera troca de camisa com Dida no domingo (Foto: Satiro Sodré / SSPress)

– Não tem essa coisa de vaidade. É importante para a carreiura, mas dentro de campo não se pensa se são 300 ou 400 jogos – disse Jefferson, que deve receber uma placa comemorativa. – Tenho um troféu pelos 150 jogos e minha filha curte muito. Isso é importante como recordação.

A carreira de Jefferson já está consolidade e o goleiro vem sendo chamado para defender a seleção brasileira. No dia 30 de junho, ele celebrou a conquista da Copa das Confederações como um dos reservas de Julio Cesar. Estar na lista de convocados para a Copa do Mundo de 2014 é seu próximo objetivo.

Com essas convocações e o reconhecimento como um dos principais goleiros do país, Jefferson conquistou o respeito dos adversários. Mas demonstra o mesmo sentimento quando enfrenta um atacante do mesmo calibre, como aconteceu na vitória por 1 a 0 sobre o Fluminense, domingo passado, ao enfrentar Fred.

– A gente atinge esse respeito em uma eventual dividida, quando o jogador vai de outra forma para a jogada, mas existe do meu lado também. Na hora de falar, questionar, falar um palavrão, tem o respeito de todo mundo. Com o Fred, é a mesma coisa, como qualquer outro jogador importante do futebol – explicou o goleiro.

Nesse confronto com o Grêmio, Jefferson terá a chance de enfrentar Dida, um de seus grandes ídolos. O goleiro do Grêmio serviu de exemplo em seu começo de carreira no Cruzeiro, com 15 anos, observando os treinamentos do agora adversário.

– Fiquei muito feliz por ele quando vi que tinha sido contratado pelo Grêmio. Eu o admiro muito como profissional. Vamos trocar de camisa depois do jogo, mas em campo é cada um pensando no seu. Me espelhei nele desde o começo da minha carreira. Hoje tenho minha identidade, mas  ele é respeitado por mim e todos os outros goleiros – comentou Jefferson.

O objetivo principal do goleiro no jogo 300, no entanto, é conquistar pontos para o time se manter entre os primeiros colocados, sonhando com o objetivo maior que se trata do título brasileiro. O Botafogo lidera o Brasileiro, com 13 pontos, um a mais do que o Coritiba.

– É sempre importante estar no topo da tabela. Não pode deixar ser um fardo, um peso. É  preciso pontuar o máximo possível. É muito difícil um time liderar até o fim do campeonato, mas temos que manter o Botafogo ali entre os primeiros para brigar no fim. É cedo para achar que devemos ficar para sempre nessa posição. O objetivo é pontuar – disse o goleiro.



Fonte: Globoesporte.com
Comentários