Este mesmo LANCE! trouxe um debate acerca de qual posição dentre os goleiros do Botafogo Jefferson está inserido. Com 458 jogos, que o deixam como o terceiro atleta que mais vezes vestiu a camisa alvinegra, o ídolo de 35 anos está prestes a realizar o último de sua carreira, nesta segunda-feira, contra o Paraná, no Nilton Santos, e a deixar muitas saudades ao torcedor.

Sobretudo pela lealdade demonstrada, e ratificada com a permanência para a Série B (2015), mesmo valorizado no mercado, Jefferson é um dos casos raros de jogadores que optam por acumular jogos em um único clube. Mas e daqui para frente, com quem ficará o posto de maior ídolo do elenco? Questionado sobre isso em entrevista coletiva, Jefferson indicou que Gatito Fernández está no “caminho certo” para preencher o vazio deixado após a sua aposentadoria.

– (Gatito) Está caminho no caminho certo e muito positivo, fazendo grandes jogos, tendo grandes atuações. Já salvou o Botafogo diversas vezes. Sem vaidade, digo que torço para que ele construa uma grande história também. Tenho a minha aqui, mas não posso desmerecer a todos que marcaram esse clube. Tem o Manga, o Wagner… Quem ganha com tudo isso é o Botafogo, que sempre tem a crescer com esses nomes – disse Jefferson.

E a pavimentação do status de ídolo de Gatito Fernández, de volta ao time titular há cinco rodadas, justamente o período de invencibilidade do time de Zé Ricardo no Brasileiro, vai muito bem, obrigado. Destaque em jogos decisivos da Libertadores e Copa do Brasil em 2017, o paraguaio foi herói na conquista do Carioca deste ano, quando voltou a brilhar nas disputas de pênaltis.

Logo após o título Estadual, aliás, Gatito renovou o vínculo com o Glorioso até o fim de 2021. Muito querido pela torcida, o arqueiro de 30 anos já soma 76 partidas pelo clube da Estrela Solitária, e, ao menos por enquanto, conta com um saldo positivo (levou 75 gols). Neste Brasileiro, por exemplo, o filho de Gato Fernández – ex-goleiro de Internacional e Palmeiras – ainda não sabe o que é perder: em sete jogos, venceu quatro vezes e empatou três. É nítida a confiança que o gringo traz ao elenco.

– Tenho confiança nos meninos que subiram e a certeza de que Saulo e Diego serão grandes goleiros. Mas a experiência neste momento é importante, principalmente pela questão da confiança e do emocional da nossa equipe. O Gatito provou toda a sua competência com uma defesa sensacional – destacou Zé Ricardo, assim que Gatito garantiu a importante vitória contra o Corinthians, no último lance, em seu jogo de retorno.

JEFFERSON COMO ‘EMBAIXADOR’?

Após passar a bola para Gatito Fernández de maneira definitiva, Jefferson, que sempre teve uma postura exemplar na sadia disputa entre ambos pela titularidade ao longo das últimas duas temporadas, também projetou os meses seguintes à aposentadoria.

Na última sexta-feira, o vice-presidente de comunicação do Botafogo, Marcio Padilha, chegou a brincar quado respondia a respeito de uma possível vaga de Jefferson na diretoria: “diretor de marketing” foi o cargo indicado pelo dirigente. E não é que Jefferson curtiu a ideia, que pode torná-lo em uma espécie de embaixador do clube?

– Penso, penso sim (trabalhar na área do marketing alvinegro). Construí uma imagem muito positiva, boa, de respeito aos torcedores. Estarei ausente em campo, porém mais presente fora dele. Quero estar ativo em eventos, em campanhas de marketing e pode colaborar sempre que possível – salientou o goleiro, que também disse que curtirá mais a família e que cuidará mais de perto de sua cafeteria, a Beato, localizada em São José do Rio Preto (SP).

Fonte: Terra