O Botafogo deu fim à sequência de seis partidas sem vencer. Neste domingo, a equipe de Eduardo Barroca derrotou o Avaí por 2 a 0, na Ressacada, em duelo válido pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com um gol em cada etapa, o Alvinegro abriu mão do estilo da posse de bola, buscou explorar os espaços dados pelo adversário e, com Alex Santana e Marcelo Benevenuto balançando as redes, vai voltar para o Rio de Janeiro com três pontos. O LANCE! destaca cinco pontos da vitória do Glorioso.

COMEÇO IRREGULAR

Até por característica das equipes de Alberto Valentim, que treinou o Botafogo no ano passado, o Avaí começou a partida com jogadores ocupando o campo de ataque, no intuito de pressionar a saída de bola e incomodar o Alvinegro. Em um primeiro momento, tal estratégia deu certo, já que o Glorioso teve dificuldades para sair da própria metade do gramado.

Este fator resultou em um Avaí mais ativo nos primeiros 15 minutos de jogo. O time da casa teve mais presença e a impressão era de que o Botafogo entrou em um ritmo lento. Aos poucos, a equipe de Eduardo Barroca se encontrou e passou a superar a marcação-pressão dos catarinenses com facilidade.

BRILHO DO ARTILHEIRO

Após o ímpeto inicial do Avaí, o Botafogo adotou uma postura mais ofensiva e, já no primeiro tempo, passou a dominar as ações da partida, com passes em velocidade e movimentação para se livrar da marcação adversária. Em um dos momentos em que esta evolução do Alvinegro se fazia presente, a equipe abriu o placar.

Pouco antes da metade da primeira etapa, João Paulo, com um passe de calcanhar, colocou Alex Santana de frente para o gol. O camisa 5, em sua especialidade, ajeitou o corpo e finalizou, sem chances para o goleiro Vladimir. Foi o quarto gol do meio-campista no Campeonato Brasileiro, assumindo, de vez, a artilharia do Botafogo na competição.

SEGUNDO TEMPO NA BOA

O Botafogo abriu a etapa complementar em estilo. Logo com quatro minutos de bola rolando, os visitantes dobraram a vantagem no placar. Marcinho, com uma sequência de boas partidas desde que retornou ao time titular, cruzou na medida para Marcelo Benevenuto, de cabeça, se antecipar aos defensores e completar para o fundo das redes.

O gol deu tranquilidade para o Botafogo, que, com 2 a 0 no placar, abriu mão da tradicional estrategia de posse da bola para entregar o controle da pelota ao Avaí. Neste caso, a equipe de Alberto Valentim parou na boa atuação defensiva do Alvinegro, sem permitir que os mandantes criassem chances reais de gol.

AVAÍ: MUITAS FINALIZAÇÕES, POUCA DIREÇÃO

Diante do plano de jogo de esperar o adversário atacar, era natural que o Avaí finalizasse mais que o Botafogo. Não à toa, o Leão deu 30 chutes na partida, mas apenas quatro destes tiveram a direção do gol – Gatito Fernández, por sua vez, não fez nenhuma defesa difícil.

Por mais que o Avaí tivesse finalizado quase três vezes mais que o Botafogo, que chutou em nove oportunidades, o Alvinegro teve uma atuação sem sustos. A posse de bola dos mandantes não teve relação direta com as chances criadas pela equipe, muito pelo contrário. Ao Glorioso, coube se defender com perfeição, explorar os espaços vazios e sair de campo com os três pontos.

PODERIA TER SIDO MAIS…

Por mais que o desempenho do Botafogo, pelas muitas finalizações que permitiu ao Avaí, não foi tão satisfatório, a equipe saiu do gramado com o objetivo de vencer e reencontrar o caminho dos triunfos cumprido. Inclusive, o placar poderia ter sido mais elástico, mas o trio de ataque do Glorioso não estava em um bom dia.

No final da partida, o Botafogo teve, no mínimo, duas oportunidades reais de aumentar a contagem. Em uma destas, Jean, que entrou durante o segundo tempo, perdeu uma chance incrível, chutando por cima da meta com o goleiro Vladimir já caído, sem chances de defesa. No geral, a vitória do Alvinegro foi justa e a atuação, principalmente defensiva, satisfatória.

Fonte: Terra