Contra o Sol de América, na última quarta, Gatito Fernández fez mais uma partida segura e de destaque. Não é de hoje que o Botafogo vive em lua de mel com seus goleiros, e isso passa muito por seus dois treinadores da posição. Um deles, Jorcey Anisio, que trabalha junto a Flávio Tênius, teve uma boa iniciativa.

Aos 46 anos e com passagens por Flamengo, Londrina e União da Madeira-POR como arqueiro, Jorcey promoverá workshop sobre goleiros, no qual tem como objetivo debater aspectos táticos, técnicos e metodológico. Ele explica:

– A ideia de fazer esse workshop de goleiros surgiu por eu considerar que debatemos pouco sobre o tema. Temos muitos cursos que falam sobre parte a técnica e tática do futebol, de um modo geral, e preparação física, mas, sobre o treinamento de goleiros, eu sinto falta. Há poucos canais para se discutir sobre isso, e a troca de ideias e aprendizados são importantes – disse, completando:

– Sinto que a maioria dos treinadores de goleiros parece ter medo de falar sobre a maneira como trabalha, a metodologia usada… Faz parecer, na minha visão, que o treinamento de goleiro é tudo igual. Profissionais do futebol não se aprofundam sobre o tema, talvez há um receio no sentido de “Ah, se eu falar como eu trabalho, podem copiar, vão utilizar o mesmo treino, podem ocupar o meu lugar”. Eu não enxergo desta maneira. Penso que só crescemos com a troca de informações, no aprendizado. E o principal objetivo é neste sentido.

Jorcey está no Botafogo desde 2014 – e passou a integrar a comissão técnica dos profissionais no ano seguinte. Ele será um dos três palestrantes do evento, que será realizado no dia 15 de junho, de 13h às 17h, no Rio 2 Park, na Barra da Tijuca, e custará R$ 100 à vista (mais informações no tuíte acima).

– Serão três palestras. Uma minha, onde vou falar sobre a metodologia de treinamento, o que eu acredito que seja o correto e da maneira como eu trabalho no dia a dia. Outra palestra será do Marquinhos Lopes, que durante muito tempo trabalhou com o Abel Braga. O Marquinhos falará sobre conduta do treinador de goleiros, o que ele acredita que seja o perfil ideal do profissional, o comportamento perante comissão técnica e nos treinos. Vemos muitos treinadores de goleiros que têm qualidade, mas que acabam se perdendo por se envolverem em outros assuntos internos. Já a terceira palestra será de Eduardo Bahia, que trabalhou durante muitos anos no Vitória, lançou o Dida e uma geração muito boa de goleiros no Vitória, além de já ter trabalhado com o Vanderlei Luxemburgo e na Seleção Brasileira de base. Ele falará sobre o papel tático dos goleiros nos dias atuais, principalmente sobre a importância de se jogar com os pés.

INSPIRAÇÕES NA CARREIRA

Além de ouvi-lo a respeito do workshop, o LANCE! também perguntou a Jorcey quais foram as suas principais inspirações, tanto para a profissão de preparador quanto nos seus tempos de atleta.

– Quanto a trabalhar como preparador de goleiros, sempre fui apaixonado pelo posição e já tinha em mente que, quando terminasse a carreira, queria continuar no futebol e exercendo esta função. As minhas referências foram alguns profissionais com que trabalhei, como Luís Alberto, que hoje é o auxiliar do Oswaldo de Oliveira e foi o meu primeiro treinador de goleiros quando eu tinha 12 anos. Já em relação à posição, a minha maior referência quando criança era o Paulo Sérgio, do Botafogo, e o Rinat Dasayev, da seleção russa. Depois, já jogando, passou a ser o Taffarel – concluiu.

Fonte: Terra