A paralisação do futebol no Brasil por conta do surto de coronavírus causa muitas dúvidas nas pessoas por conta da adequação do calendário no país com relação aos Estaduais e ao Campeonato Brasileiro. Nesta quinta-feira (19 de março), porém, a presidente da Federação Paraibana deu uma declaração que pode surpreender muitas pessoas.

Loja do FogãoNET por Estilo Piti | O Site oficial do torcedor do Botafogo

Segundo Michelle Ramalho, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a confirmou que o Brasileirão sofrerá alterações com a diminuição de datas para a conclusão dos estaduais pelo Brasil.

“Rogério Caboclo vai convocar um novo arbitral e vai mudar o formato. Vai ter um novo formato, caso essa onda do vírus venha a se alargar. Com certeza alguém vai ter que espremer seu campeonato. E antes eles (o Brasileirão) do que os estaduais. Desde já o presidente está de parabéns. Muitos achavam que era intenção da CBF espremer os estaduais ou até mesmo, como temos visto pela imprensa, as fake news afirmando que iria se repetir o resultado do ano passado. Eu já nego essa afirmação. Escutei da boca do presidente”, disse a mandatária.

“Pode ter certeza que ainda vamos ter futebol neste ano. O presidente se propôs a diminuir as datas do Brasileiro para dar oportunidade a todos os estaduais. Vamos terminar os estaduais, independentemente de qualquer coisa. Agora o tempo vai depender realmente da situação do Brasil diante desse vírus”, completou.

O secretário-geral da CBF, Walter Feldman, porém, deu uma declaração que pode soar oposta ao que a dirigente paraibana disse. Em entrevista ao SporTV, Feldman disse que o calendário não sofrerá mudanças drásticas e que a entidade que cuida do futebol brasileira está dialogando com os clubes pela melhor solução.

“Começamos um diálogo junto a Federação Nacional dos Atletas, conversamos com membros do Tribunal Superior do Trabalho, estamos com vários presidentes de clubes discutindo os mecanismos entre clubes e atletas para darmos uma solução emergencial. Estamos amparados na legislação, buscando uma propostas coletiva para nos dar um tempo para nós compreendermos essa doença em termos de prazo para, talvez, algumas medidas trabalhistas sejam tomadas. O presidente Rogério Cabloco já encaminhou ofício para suspendermos os pagamentos do Pro Fut”, afirmou o dirigente.

“O presidente Rogério Caboclo tem o costume de chamar os diretores, conversar com os clubes, tem uma relação boa com a Conmebol e Fifa. Ele diz uma frase pragmática: ‘A mudança do calendário não pode ser objeto de uma oportunidade, tem que ser de convicção’”, finalizou.

Fonte: Fox Sports