Pressão e fuga da degola faz Botafogo esquecer base e segurar as promoções

Compartilhe:

O Botafogo conseguiu promover garotos nos últimos anos – em trabalho exaltado frequentemente pela diretoria. As promessas ganharam chances e espaço no time principal e deram frutos, confirmando a expectativa do clube. Em 2014, porém, o ritmo é outro no Alvinegro. A má fase dentro de campo faz o técnico Vagner Mancini esquecer as opções nas categorias de base.

Com a briga para escapar das últimas posições do Campeonato Brasileiro, o treinador aposta na experiência de medalhões. Com isso, as promoções de jovens para o time principal foram paralisadas. A prioridade, em meio à crise, é deixar as promessas de lado e colocar todas as fichas em Carlos Alberto, “Cachito” Ramírez e cia.

Até mesmo nomes apontados como promissores por Eduardo Húngaro, que passou pela base e treinou o time na fracassada campanha na Copa Libertadores, são esquecidos. É o caso de Daniel, meia-atacante que usou a camisa 7 no início da temporada e que aparece cada vez menos na equipe.

Outros jovens usados por Oswaldo de Oliveira nas temporadas passadas perdem cada vez mais espaço com Mancini, que tenta resolver os problemas do time com foco na experiência. Gegê, Fabiano e Cidinho estão no grupo alvinegro, mas pouco aparecem.

Dória e Gabriel, por outro lado, mantiveram posições de destaque no time nesta temporada. Os titulares do time, no entanto, sofrem frequentes críticas durante fase ruim da equipe no Brasileirão – com 13 pontos e na 17ª colocação, o Botafogo entrou na zona de rebaixamento após a última rodada.

O momento é complicado para a dupla também fora de campo. Eles receberam salários antes dos companheiros por estratégia de investidores para evitar uma possível rescisão contratual através da Justiça. A manobra, que teve o aval da diretoria alvinegra, gerou insatisfação dentro do elenco.

Para o clássico contra o Fluminense, marcado para o próximo domingo, em Brasília, o zagueiro Dória não estará em campo. Ele terá que cumprir suspensão por cartões amarelos. Gabriel está mantido, mas começa a correr riscos com o retorno próximo de Marcelo Mattos, já recuperado de cirurgia no quadril realizada em maio.



Fonte: UOL
Comentários