Discutida em reunião entre os clubes e a Federação de Futebol do Rio (Ferj), a garrafa pet pode mesmo virar a nova tentativa de elevar a média de público do Campeonato Carioca. A sugestão foi bem recebida pelos presentes, que assistiram a uma apresentação sobre a experiência bem-sucedida no torneio da CBF. O debate terá continuidade na próxima segunda, quando responsáveis pelas áreas de marketing e comercial sentarão para discutir a viabilidade do projeto.

Em resumo, a ideia é convocar a torcida a entregar as garrafas para a reciclagem. Elas serão depositadas numa máquina, que emitirá uma espécie de voucher. Este papel poderá dar desconto na compra de ingressos ou até ser subsituído por uma entrada.

– Todas as ideias apresentadas são boas, factíveis. Agora vamos ver o que dizem os departamentos de marketing dos clubes, quem tem mais propriedade para discutir o que pode ser viável para melhorar o Carioca em questão de público – comentou o presidente do Botafogo, Nelson Mufarrej.

No próximo encontro, serão debatidos assuntos como o investimento necessário, parceiros comerciais e até o maquinário a ser utilizado. É importante lembrar que tanto os clubes quanto a Ferj ainda não fecharam questão em relação às garrafas pet. Há, inclusive, quem não ache que esta seja a promoção mais adequada. No entanto, este caminha para ser o modelo adotado.

– Garrafa PET é um produto que encaixou bem com a Copa Verde. É verde, encaixa. Mas aqui no Rio tem que ser um outro tipo de produto – destacou Jânio Morais, presidente do Nova Iguaçu. – No geral, acho que vai ser produtivo. Mas tem que se criar um outro tipo de produto para tentar preencher a ociosidade de torcedores.

Encerrada neste domingo, a Taça Guanabara não teve bom desempenho em termos de arrecadação. Em 31 partidas, foram R$ 3,9 milhões brutos com bilheteria. Deste total, 65% se deve a apenas três jogos: Boavista x Flamengo (em Cariacica-ES), Nova Iguaçu x Flamengo (em Brasília) e Flamengo x Vasco.

– O Estadual vai muito bem no que diz respeito à televisão, com jogos de grande audiência. Mas é preciso olhar para a outra parte, que é a arquibancada. E, neste ponto, qualquer iniciativa que tenha como objetivo atrair o torcedor de volta é sempre bem-vinda – disse o presidente do Vasco Alexandre Campello.

Fonte: Panorama Esportivo - O Globo Online