Em entrevista ao blog Bastidores FC, do site Globoesporte.com, a promotora Alessandra Garcia Marques, do Ministério Público do Acre, afirmou que o Botafogo não deve receber mais nenhum recurso da Telexfree, em virtude da investigação da empresa, acusada de atuar em esquema ilegal de pirâmide, nos Estados Unidos.

Já há uma decisão da Justiça do Acre que mantém as contas bloqueadas da empresa no Brasil. O Botafogo, entretanto, recebia diretamente dos Estados Unidos. Segundo investigação americana, a Telexfree fez um pagamento ao Botafogo de US$ 1,7 milhão (cerca de R$ 3,8 milhões), valor que o Botafogo não divulgava. O clube diz que não tem nada a mais receber pelo patrocínio, que se estende até o fim do ano.

– Provavelmente o Botafogo não vai receber mais nada, porque os bens da empresa estão bloqueados no Brasil e lá fora também. A investigação americana só confirma o que nós alegamos no nosso processo, e com bastante riqueza de detalhes. Eles têm provas do funcionamento do esquema em nível internacional – disse a promotora.

Fonte: Redação FogãoNET