Dodô relembra trauma de 2007, chama Oswaldo de ‘mágico’ e confia em G-4

Compartilhe:

A preocupação do Botafogo após a eliminação da Copa do Brasil não é por acaso. Em 2007, a traumática queda nas quartas de final da Copa Sul-Americana afetou o time no Brasileiro a culminou na perda da vaga na Libertadores. Protagonista da equipe na ocasião, o ex-atacante Dodô relembrou os problemas e a queda de rendimento naquela temporada. Porém, mostrou confiança que o Alvinegro comandado pelo “mágico” Oswaldo de Oliveira vai superar o baque e conseguir a vaga na competição sul-americana de 2014.

Em entrevista ao ESPN.com.br, Dodô evitou fazer comparações entre o time atual e aquele do qual fez parte, mas admitiu que a carência de títulos do Botafogo nas últimas temporadas pode atrapalhar psicologicamente os atletas.

“São situações que se repetem com o Botafogo nos últimos anos, juntando isso e o tempo que o time não consegue títulos ou a vaga na Libertadores, isso vai pesando nos momentos decisivos. Isso com certeza influencia. Depois da derrota de quarta para o Flamengo, já cria aquilo de que não vai conseguir novamente a vaga na Libertadores”, disse Dodô, que, no en tanto, fez elogios ao trabalho do técnico botafoguense e destacou a campanha do time agora em 2013.

“Por tudo que aconteceu este ano, jogadores que saíram do clube, atrasos de salários e por tudo aquilo que a gente escuta, o Botafogo vem fazendo uma grande temporada. O Oswaldo não tem tantas oções para mexer no time, o elenco é pequeno, assim como era em 2007. Acho que o Oswaldo está sendo mágico com todos esses problemas e está fazendo um grande trabalho”.

Em 2007, o Botafogo teve a sua maior chance de voltar à Libertadores, torneio que não participa desde 1996, mas falhou na missão. O time chegou a liderar o Brasileirão por várias rodadas, mas não manteve o ritmo e terminou na 9ª posição. A equipe despencou de vez após a traumática eliminação nas quartas de final da Copa Sul-Americana para o River Plate, depois de ter a vaga nas mãos. A equipe do técnico Cuca vencia na Argentina, por 2 a 1, até os 28 minutos do segundo tempo e tinha um jogador a mais em campo, mas sofreu três gols e perdeu por 4 a 2.

“Aquele jogo foi inexplicável. Foi um dois maiores jogos que a gente fez aquele ano até a metade do segundo tempo, mas tomamos três gols e perdemos a vaga. Depois daquele jogo, não conseguimos mais retomar os bons resultados, não tivemos mais força. Passamos por um momento de crise, o Cuca saiu e depois de duas semanas voltou”, contou Dodô, que ainda relembrou outros problemas que afetaram o Alvinegro em 2007.

“Aconteceram muitas coisas naquele ano. Teve o meu caso de doping, fiquei algumas partidas sem jogar, e esse problema abalou muito nosso time, prejudicou a campanha. Também teve a eliminação da Copa do Brasil do jeito que foi, com aqueles erros da bandeirinha contra o Figueirense. Foi traumático”.

Nos primeiro caso citado, Dodô foi pego no exame antidoping com femproporex, mas o clube alegou que a substância se encontrava em uma cápsula de cafeína manipulada por uma farmácia. O atacante foi suspenso por 120 dias, mas voltou a atuar depois que entrou com recurso. Pouco antes disso, o Botafogo foi eliminado nas semifinais da Copa do Brasil pelo Figueirense, em um duelo polêmico em que teve dois gols anulados por impedimentos marcados pela auxiliar Ana Paula Oliveira.

Apesar das frustrações botafoguenses nos últimos anos, Dodô acredita que a equipe carioca este ano vai finalmente disputar novamente a Libertadores após 18 anos. O ex-jogador vê o Alivnegro com potencial maior do que os adversários mais próximos na tabela do Brasileirão, mas faz um alerta.

“Acho que Goiás e Vitória não têm força para tomar essa quarta vaga do Botafogo. Mas o Botafogo não pode bobear mais, acho que o Botafogo só perde a vaga para o próprio Botafogo. O time tinha uma vantagem maior, mas tropeçou e agora só está quatro pontos à frente do Goiás”, disse Dodô, que completou.

“Também existe de o G-4 virar G-3, se o São Paulo for campeão da Copa Sul-Americana. Se isso acontecer, o Botafogo precisa reagir rápido, porque Cruzeiro, grêmio e Atlético-PR estão vencendo os seus jogos, não vai ser fácil o Botafogo ultrapassar um deles”.

Atualmente com 39 anos, Dodô teve a sua última atuações como atleta profissional no primeiro semestre de 2013, quando disputou a Série B do Carioca, pelo Barra da Tijuca. Agora, o ex-atacante projeta estudar o futebol fora dos gramados para no futuro ocupar uma função no esporte, como treinador ou dirigente.

Fonte: ESPN.com.br

Comentários