Quarteto ofensivo é responsável por mais da metade dos gols

Compartilhe:

Algumas das maiores equipes da história do futebol tinham um centroavante como a maior fonte dos gols. Talvez por isso, a torcida do Botafogo tenha reclamado tanto quando Loco Abreu deixou o clube. Mas, a cada dia que passa, a decisão do técnico Oswaldo de Oliveira de implementar um estilo de jogo baseado na movimentação dos homens de frente se mostra mais acertada.

Afinal, o Alvinegro não possui só um “matador”, mas quatro: Rafael Marques, Seedorf, Lodeiro e Vitinho. Isso em um esquema sem centroavante fixo e com troca de posição intensa de todos os apoiadores.

E os números comprovam o discurso. O ataque tem sido avassalador durante a temporada. Foram 83 gols em 41 jogos, média pouco superior a dois gols por partida. E dessas 83 bolas colocadas nas redes adversárias, 50 têm a assinatura de cada um dos membros do “quarteto fantástico”. Foram 15 de Rafael Marques, 12 de Lodeiro e Seedorf e 11 de Vitinho.

– Quando temos tempo, trabalhamos muito o setor ofensivo. O mais legal é que qualquer um pode fazer gol nesse esquema. O mais importante é o trabalho do time no geral. Nosso ataque começa com a força da nossa defesa, que pressiona os adversários e tem boa saída ao ataque – afirmou o uruguaio Lodeiro.

Essa versatilidade dos atacantes também aparece durante as partidas. Lodeiro e Vitinho invertem o posicionamento constantemente, enquanto Rafael Marques chega a atuar como armador. Além disso, no fim de alguns jogos, Seedorf atua praticamente como centroavante, para não se desgastar, prendendo a bola e tentando garantir o placar.

– Rafa é um grande jogador e muito importante para o Botafogo. Está jogando muita bola, como meia e como atacante. Corre muito e é solidário até demais. Está de parabéns e merece por tudo o que trabalha e pela pessoa que é – analisou Lodeiro.



Fonte: Lancenet!
Comentários