Em um ano no Botafogo, Erik marcou como se tivesse muito mais. Foram 46 jogos e 16 gols, fora assistências e a entrega que geraram identificação recíproca. Até hoje ele fala com carinho do Glorioso. No último domingo, em entrevista ao “Canal do TF” ele voltou a mencionar o desejo de um dia retornar ao Glorioso. Mas, tecnicamente, hoje ele teria vaga no time de Paulo Autuori?

Atualmente no Yokohama Marinos (JAP), Erik atuava, no Botafogo, pelos lados do campo, com um outro atacante no comando do ataque e outro jogador na outra ponta. O último jogo dele pelo time de General Severiano foi em 24 de julho, contra o Atlético-MG, pela Copa Sul-Americana. Desde então, 14 jogadores começaram jogos por um dos lados do ataque.

Veja a lista dos jogadores que atuaram na posição desde a saída do jogador, em junho de 2019:

– Luiz Fernando (extremo) começou 27 jogos no período, dois gols.
– Rodrigo Pimpão (extremo): começou oito jogos, sem gols no período. Saiu no fim de 2019.
– Lucas Campos (extremo): começou jogos no período.
– Marcinho (lateral-direito): começou jogos na função de extremo no período.
– Vinícius Tanque (centroavante): começou um jogo como atacante aberto. Saiu no fim de 2019.
– Valencia (meia): começou seis jogos na função de extremo no período;
– Igor Cássio (centroavante): começou quatro jogos na função de extremo no período. Marcou um gol desta forma.
– Rhuan (extremo): começou seis jogos no período e marcou um gol.
– Luis Henrique (ponta): começou 11 jogos no período e marcou um gol.
– Ênio (extremo): começou um jogo no período.
– Warley (lateral/ponta): um jogo na função de extremo
– Danilo Barcelos (lateral/ponta): um jogo na função de extremo
– Bruno Nazário (meia): um jogo na função de extremo
– Honda (meia): um gol, de pênalti, quando atuou mais à direita do ataque.

A ida do jogador para o Japão deixou uma lacuna difícil de ser preenchida nos times comandados por Eduardo Barroca e Alberto Valentim na temporada passada. Mesmo sem jogar um semestre, terminou 2019 como o vice-artilheiro da equipe, ao lado de Diego Souza, com nove gols e atrás apenas de Alex Santana, com dez.

Em 2020, a disputa no setor seria mais acirrada para Erik. Pela direita, a concorrência seria com Luiz Fernando, que voltou a ter boas atuações no início de temporada. Do lado esquerdo, o jovem Luis Henrique se tornou uma das boas surpresas do time de Autuori e vinha mostrando evolução até a pausa. Com a chegada de Honda, o meia Bruno Nazário também passou a ser usado como ponta e passou a ser mais um nome de peso concorrendo pela posição

Fonte: Terra