Não é apenas impressão. A Série A do Brasileiro de 2015 caminha para ficar marcada de forma negativa na lembrança do carioca. A três rodadas do fim do torneio, os clubes do Rio têm seu pior desempenho nos pontos corridos. Juntos, Flamengo, Fluminense e Vasco conquistaram 125 pontos de 315 disputados. Um aproveitamento de meros 39,68%, o menor desde que o torneio passou a ser disputado no formato.

Antes disso, a pior marca fora registrada em 2004. Naquela edição, os quatro grandes estavam presentes. Mas não conseguiram, juntos, mais que 40,94% dos pontos.

O mau desempenho não é o único indício da crise. Já são dois anos sem cariocas no G-4 e nenhum título nacional na elite. Em 2016, pela segunda vez seguida, a Libertadores não terá times do Rio.

A crise se reflete ainda nos rebaixamentos. O Rio pode ter, pelo terceiro ano seguido, um de seus quatro grandes na Série B. O Vasco, aliás, está perto de se igualar ao Vitória-BA como time que mais vezes caiu para a Segundona nos pontos corridos (foram três quedas dos baianos e duas dos cruz-maltinos). Recordes que só evidenciam a necessidade de se repensar a gestão do futebol do estado.

Procurados, os dirigentes vascaínos não quiseram falar. Nas Laranjeiras, a diretoria também evitou se pronunciar. Mas, através da assessoria de imprensa, o clube lembrou que tanto ele quanto o Flamengo “têm brigado pela modernização do futebol carioca, justamente o que a Federação do Rio não vem fazendo”.

No Rubro-negro, o diretor de futebol Rodrigo Caetano lembrou que, este ano, o clube fez contratações relevantes. Ele informou ainda que, no orçamento de 2016, há previsão de verba para investimento em infraestrutura física e tecnológica que permita aos jogadores atingir suas condições ideais.

— Fizemos contratações de jogadores que são desejados por muitos outros clubes. Mas só isso não dá certo. Então, espero que isso dê a eles o suporte necessário para que cheguem ao ápice de seu desempenho — explicou o dirigente do Flamengo.

Confira o aproveitamento dos cariocas na Série A desde 2003:

2015: 39,68%

2014: 42,98%

2013: 42,98%

2012: 52,63%

2011: 54,60%

2010: 48,90%

2009: 46,78%

2008: 44,30%

2007: 50,66%

2006: 45,39%

2005: 47,22%

2004: 40,94%

2003: 41,54%

Fracassos também nas outras divisões

Se na Série A a situação é alarmante, nas divisões inferiores ela não é melhor. Com exceção do Botafogo, que garantiu o acesso com antecedência, os demais clubes têm amargado resultados pífios.

Também na Série B, o Macaé, em 15º, vai lutar até a última rodada contra o rebaixamento. Destino do qual o Madureira, que jogou a C, não escapou. O Tricolor Suburbano vai disputar a D no ano que vem. E tentará fazer mais bonito do que Volta Redonda e Duque de Caxias, eliminados logo na primeira fase do torneio.

Fonte: Extra Online