O Botafogo conseguiu superar suas adversidades, a pressão fora de casa, uma doída eliminação na Taça Libertadores e, ainda por cima, conseguiu quebrar mais um tabu: o Glorioso não vencia o Coritiba no Couto Pereira desde 2012. A equipe de Jair Ventura conseguiu dar um fim a mais uma barreira e, com isso, o Alvinegro é o líder do returno do Campeonato Brasileiro, com cinco vitórias em seis jogos.

O treinador, que apostou em Gilson como um meia pelo lado esquerdo para tentar neutralizar as investidas da equipe adversária, viu o atleta contribuir pouco no campo de ataque e um Botafogo sem muita criatividade. Além disso, o meio campo parecia não se entender, já que os quatro jogadores do setor não conseguiam rodar a bola com qualidade e criar chances.

Matheus Fernandes não voltaria para o segundo tempo e daria lugar a Marcos Vinícius, que jogaria adiantado – puxando João Paulo para a posição de volante. Foi desse jeito que o Camisa 10 passou a aparecer mais para o jogo e levou o Botafogo a uma grande virada e uma emocionante vitória.

Jogando mais recuado, João Paulo conseguiu transitar entre os jogadores de meio campo do Coritiba e ditou o ritmo de jogo da equipe, distribuindo passes e tendo uma maior participação ofensiva. Onipresente, o atleta sempre dava opção ao companheiro de equipe, não importava em qual lado ele estava. Dessa maneira, conseguiu potencializar o jogo da equipe do Botafogo, que passou a controlar as ações da partida. O Coritiba de Marcelo Oliveira também teve suas chances, mas viu o Glorioso ser superior durante a maior parte do tempo.

Primeiro, a assistência para o gol de Roger, que abriu a virada da equipe. Em uma cobrança de falta perfeita, João Paulo colocou a bola perfeitamente na cabeça do camisa 9, que finalizou com precisão à meta de Wilson. Minutos depois, a virada. E, mesmo assim, o Botafogo não parou de ter a posse de bola e muito disso passava pelos pés de João Paulo.

Foi coroado com o gol da vitória, merecido após um grande segundo tempo. Após lançamento vindo da esquerda, Marcos Vinicius desviou e João Paulo, sozinho, teve espaço para dominar no peito e fuzilar. Na comemoração, extravasou: não vinha apresentando boas atuações recentemente, mas provou que continua sendo muito importante para a equipe de Jair Ventura.

Foto: Reprodução/Footstats

Mapa de calor: mostra que o jogador esteve presente na maior parte do campo, dando opção aos companheiros, organizando o jogo e com um grande apoio defensivo, já que, além do gol e da assistência, João Paulo roubou três bolas. Como volante, teve uma grande participação, tanto ofensivamente quanto defensivamente, e ajudou o Botafogo a virar a partida.

Fonte: Vavel