O Bangu segue se reforçando para o Campeonato Carioca. O ataque da equipe foi um dos setores a receber os atletas mais reconhecidos no cenário estadual. Felipe Adão, filho do ídolo Cláudio Adão, foi o primeiro a se apresentar. Na última terça (4), foi a vez de Alex, de 28 anos, com boa passagem pelo Botafogo. Os dois disputarão a camisa 9 do Alvirrubro ou podem até jogar juntos, formando a dupla de frente.

Vindo de grave lesão no joelho, Alex garante estar 100% recuperado. Segundo o atacante, problemas físicos não voltaram a acontecer nos últimos seis meses. Com isso, basta se readaptar ao calor carioca para poder ajudar o Bangu dentro das quatro linhas.

– Estou 100%. A lesão foi superada totalmente. Nos últimos seis meses não tive nenhum problema físico. Nesses primeiros dias no Bangu senti um pouco a diferença da temperatura, o desgaste foi muito maior, mas isso é questão de dias para me readaptar.

De volta ao futebol carioca, Alex citou os dois Estaduais que pôde atuar pelo Botafogo em 2010 e 2011. O atacante lembrou que sua estreia como profissional foi justamente contra o Bangu. Em seguida veio o primeiro gol, diante do Volta Redonda, na sua segunda temporada pelo time principal do Alvinegro.

– A expectatica é muito boa, tive a oportunidade de jogar dois Cariocas pelo Botafogo. No primeiro foi a minha estreia como profissional justamente contra o Bangu em 2010, um fato bem curioso. E uma outra questão legal é que eu marquei meu primeiro gol como profissional no Carioca de 2011 contra o Volta Redonda.

Ao sair do Brasil, Alex tinha apenas 24 anos e tentava se desvincular da alcunha de “promessa do Botafogo”. Agora com 28, o atacante garante estar mais maduro. De acordo com ele, o futebol europeu o ensinou a melhorar taticamente e, assim, conseguirá ajudar ainda mais o Bangu.

– Agora sou um jogador bem mais maduro em todos os aspectos. O futebol europeu te faz olhar muito mais para o jogo tático, creio que cresci muito nessa área, acho que tenho muito a acrescentar no Bangu, mas o principal é corresponder às expectativas dentro de campo. Futebol não é uma ciência exata então cada oportunidade que aparecer tenho que estar bem atento e concentrado para aproveitar, trazendo assim uma resposta positiva dentro de campo.

Bagagem bem mais cheia

Por quatro anos fora do Brasil, o novo centroavante do Bangu destrinchou como foram as experiências internacionais. Ele lamentou não ter conseguido desempenhar na Dinamarca o mesmo futebol que mostrou na Suécia. As cobranças nos Emirados Arabes e na Tailândia, por conta de ser estrangeiro, foram difíceis também, mas nada comparado ao frio de temperatura negativa na Europa.

– Suécia e Dinamarca foram situações muito parecidas, mas com resultados diferente entre elas. Na Suécia fui muito bem, já na Dinamarca a lesão no joelho não me permitiu corresponder dentro de campo. Uma situação que sempre foi bem difícil é superar foi o frio, jogar com temperatura negativa não é nada fácil. Emirados e Tailândia é um futebol mais rápido, sem muita noção tática, onde nós estrangeiros somos sempre muito cobrados para fazer a diferença. No México achei um futebol mais parecido com o brasileiro, mas a questão da altitude realmente faz muita diferença, foi uma situação que me fez ter muita dificuldade.

Com 39 jogos vestindo a camisa do Botafogo e seis gols anotados, Alex guarda boas lembranças do Alvinegro. De acordo com o atacante, o Glorioso foi de suma importância em sua carreira, mas se tiver a oportunidade de balançar as redes, vai comemorar com seus atuais companheiros.

– Enfrentar o Botafogo vai ser algo bem estranho, nunca me imaginei nessa situação. Tenho começado a pensar nisso, ainda tem boa parte dos funcionários da minha época. Jogadores têm bem pouco. O Jefferson era um, seria uma grande honra enfrentá-lo, mas infelizmente para gente ele se aposentou. Sempre gosto de comemorar meus gols com meus companheiros de time, então se sair algum gol celebrarei com eles, mas jamais com o objetivo de desrespeitar o Botafogo. Acho que o respeito é manifestado de tantas formas, e não acredito que uma comemoração de gol possa ser encarado como desrespeito. Sou e sempre serei grato ao Botafogo pela minha carreira.

O Bangu estreia na Taça Guanabara diante do Flamengo, em 19 ou 20 de janeiro, fora de casa. O duelo contra o Botafogo, na segunda rodada, também fora de casa, será entre os dias 23 ou 24.

Fonte: FutRio