O Botafogo é o sétimo colocado no Campeonato Brasileiro, com 15 pontos, um a menos que o Internacional, primeira equipe na zona de classificação para a Libertadores. A situação confortável na tabela, no entanto, contrasta com a baixa média de finalizações da equipe na competição, até a parada para a Copa América. De acordo com o site “Footstats”, o Alvinegro tem o segundo pior índice de chutes a gol entre as equipes da Série A, com 8,4 finalizações por partida, à frente apenas do Corinthians, com média de 7,9 finalizações por jogo. Nas nove rodadas, foram 76 bolas chutadas a gol, com oito gols marcados.

A torcida alvinegra, por outro lado, tem razões para ficar otimista quanto a melhora do poder ofensivo do time. Nas últimas partidas do Alvinegro, o atacante Diego Souza voltou a marcar gols e ganhou confiança. Contra o Sol de América, pela Sul-Americana, no dia 29 de maio, o camisa 7 encerrou um jejum de gols que durava quase dois meses, desde o Campeonato Carioca. No clássico contra o Vasco, em junho, Diego Souza foi o autor do bonito gol da vitória por 1 a 0. Dias mais tarde, na partida diante do CSA, foi dele a assistência de cabeça para Cícero empatar a partida que seria ganha por 2 a 1.

A chegada do atacante Victor Rangel, reforço vindo do CRB, também pode ajudar a subir a média de finalizações da equipe comandada por Eduardo Barroca. Rangel tem seis gols marcados na atual temporada e atua como centroavante referência do ataque. O atleta tem 1,80m de altura, e é conhecido pela mobilidade e velocidade. É comum enxergá-lo com corridas por trás dos zagueiros, tentando aproveitar os espaços na defesa adversária.

Outro nome encaminhado para o ataque é o de Biro Biro, do São Paulo. Sem espaço no Tricolor paulista, o jogador de 24 anos foi dispensado e teve o nome aprovado por Barroca. Biro Biro se destacou no Fluminense e teve passagens por Ponte Preta e Shanghai Shenxin, da China.

No atual plantel, o Alvinegro conta ainda com Rodrigo Pimpão, Igor Cássio, Lucas Barros, Lucas Campos e Erik para o setor de frente. Diante da crise financeira e escassez de recursos para investir em contratações de peso, o Glorioso também pensa em recorrer aos atletas das categorias de base. Até o momento, o sub-20 botafoguense, treinado por Marcos Soares, chegou à semifinal da Taça Guanabara e estreou com vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG no Campeonato Brasileiro da categoria. Alguns nomes, portanto, podem surgir como soluções caseiras para a equipe principal.

O time de base também ganhou um reforço para a continuidade de 2019, na última quinta-feira. O atacante Maxuel, ex-Primavera, assinou contrato de empréstimo de um ano e meio. O jogador marcou 10 gols em 11 partidas pelo Campeonato Paulista.

Nos treinos após a pausa do Brasileirão, Eduardo Barroca tenta aprimorar um estilo de jogo que valoriza a posse de bola e pressiona a saída do adversário dentro de campo. O plano é fazer o Botafogo evoluir como um conjunto taticamente e converter este domínio em gols. Os artilheiros da equipe na competição são os meias Alex Santana, com três gols, e Cícero, com dois, o que evidencia a necessidade de maior participação dos atacantes na definição das jogadas.

O Alvinegro volta a campo no dia 14 de julho, quando enfrenta o Cruzeiro, no Mineirão, às 16h (de Brasília).

Fonte: UOL