Substituir o ídolo da torcida alvinegra não é novidade para Renan. Ainda assim, o clássico de hoje com o Vasco é mais uma decisão para ele. Mais do que manter o nível de Jefferson, o camisa 12 tem nova chance de ajudar o Botafogo e mostrar o seu renascimento dentro do clube e na própria carreira.

Sem jogar desde junho de 2014, Renan superou a baixa autoestima que o fez pedir para não atuar mais na temporada passada após erros e críticas da torcida. Sem ter deixado de treinar, o goleiro se apegou ao carinho que recebeu dentro do clube para continuar e tomou uma decisão: mudar de postura em 2015.

“Sinceramente, não senti vontade de ir embora. Estou mais motivado e quero aproveitar as chances. O pensamento é como se eu tivesse acabado de subir aos profissionais, quero aprender mais a cada treino e jogo para evoluir. Estou encarando como se fosse tudo novidade para mim”, afirmou.

A mudança de mentalidade já trouxe frutos ao goleiro.Além de lhe dar um voto de confiança, o técnico René Simões o escolheu como capitão para esse importante clássico. Após boas atuações contra Boavista e Barra Mansa, Renan se vê diferente do ano passado e credita muito da evolução ao aprendizado adquirido durante a péssima experiência vivida em 2014.

“Aprendi a ter muita paciência, saber esperar, confiar no trabalho e não desistir porque uma hora vai acabar. Estou evoluindo”, garantiu o goleiro, que precisou trabalhar a cabeça no período em que ficou parado. “Eu ia à Igreja, conversava com a minha família. Como não jogava, passava o fim de semana com ela e aproveitava para me distrair. Também conversei muito com o Jefferson, que me falou para ter calma e paciência.”

Hoje, contra o Vasco, Renan terá o primeiro grande teste de 2015. Justamente o clube que mostrou interesse em contratá-lo no fim de 2013: “A diretoria do Botafogo não liberou, fiquei sabendo quando voltei das férias.”

Fonte: O Dia Online