Em texto publicado em seu blog em “O Globo Online”, no dia 22 de outubro, o colunista Renato Maurício Prado havia cravado que Jefferson sairia do Botafogo no fim de 2014 e iria para o São Paulo, substituir Rogério Ceni, que, segundo o jornalista, se aposentaria.

Jefferson renovou contrato com o Botafogo até 2017. E Rogério Ceni segue sua carreira no São Paulo.

Relembre o texto:

“Do elenco campeão carioca de 2013, sem necessidade de final (ganhou a Taça Guanabara e a Taça Rio), resta apenas uma estrela: o goleiro Jefferson, titular da seleção. Seedorf, craque símbolo daquele ótimo momento, foi treinar o Milan e o técnico Oswaldo de Oliveira, Fellyppe Gabriel, Dória, Lodeiro, Rafael Marques, Vitinho, Andrezinho e outros menos votados também saíram.

No final do ano, será a vez de Jefferson. Ele só não foi demitido juntamente com os outros quatro proscritos, considerados “líderes negativos do grupo” (Emerson, Bolívar, Júlio César e Edílson) por ter alto valor de mercado. O presidente Maurício Assumpção e ele se desentenderam faz tempo por causa do absurdo atraso de salários, que aflige o alvinegro há muitos meses.

O São Paulo será o destino do goleiro do Glorioso. Lá, ele substituirá ninguém menos do que Rogério Ceni, uma lenda viva do Morumbi, que já anunciou a aposentadoria para o final desta temporada. Que triste fim de administração para Maurício Assumpção, que começou tão bem mas acabou tão mal.

A inacreditável e inaceitável invasão dos torcedores na sala de imprensa e vestiários do Engenhão, na semana passada, pode ser vista como um símbolo da mais completa desorganização que tomou conta do clube. Só falta mesmo o rebaixamento para coroar tamanha hecatombe.”

Fonte: Redação FogãoNET