Diego Jardel, Rodrigo Pimpão, Sassá, e Marcelo Mattos. Junto deles se junta Tássio, que não pôde ser substituído contra o Vasco, no final de semana, e terminou o jogo se arrastando no gramado por conta de dores. Esses cinco jogadores não enfrentarão o Botafogo, da Paraíba, na quarta, pela Copa do Brasil.

O técnico René Simões vem convivendo com a bruxa solta na equipe alvinegra. Em três meses, outros jogadores, comoobson, Gilberto, Bill, Renan Fonseca, Roger Carvalho, Andreazzi, Dankler, Lucas Zen, Airton, Fernandes, Alisson e Luis Ricardo já passaram pelo departamento médico e desfalcaram a equipe.

Por conta do alto número de recém-chegados, o Botafogo não tem o histórico médico de todos e, segundo René, isso atrapalha o planejamento. “A maioria do grupo é novo no Botafogo. Não temos o histórico dos jogadores. Estamos esticando a corda. Se esticar muito pode arrebentar. Mas se não esticarmos, ela fica frouxa se não toca deixa frouxa. Em pouco tempo esticamos essa corda e sabíamos dos riscos. Se não tivéssemos esticado, talvez não estivéssemos brigando dessa forma pela liderança. O Botafogo é o único time que não saiu da zona de classificação desde o início do Carioca. É até surpreendente”, disse o comandante.

Mas o treinador não se assusta. Para ele, todas as lesões até o momento foram leves. Apenas a de Rodrigo Pimpão precisou de um cuidado especial. “Não teve nenhuma lesão absurda. Geralmente são dores e lesões musculares pequenas. O Rodrigo Pimpão foi o único jogador que teve uma lesão de grau dois desde o início do nosso trabalho”, disse.

Se não poderá contar com Diego Jardel, Rodrigo Pimpão, Sassá, Tássio e Marcelo Matos, o técnico botafoguense terá o retorno de Fernandes, que estava suspenso, e Jefferson, que estava servindo a Seleção Brasileira.

Fonte: Futnet