O Botafogo conquistou 19 pontos no Campeonato Carioca com uma campanha de seis vitórias e um empate. Os números do líder são bons, mas para o treinador René Simões, é preciso melhorar os indicadores. René vê o time no caminho certo, mas ainda longe da média satisfatória de desempenho dentro de campo. Domingo o Botafogo enfrentará o Fluminense, no Maracanã, e terá de mandar bem no gramado para mudar as contas do professor.

– Se melhorarmos todos os indicadores a possibilidade de ganhar o jogo aumenta. O futebol não é uma ciência exata, mas se você melhora, aumenta as possibilidades de sair vencedor. Temos que correr atrás disso e não somente em fazer um gol e ganhar o jogo. O atleta precisa saber o que é uma linha de quatro, marcação por zona… Percebemos que eles fazem isso, mas sem saber o que estão fazendo – avaliou René.

Com pouco tempo de trabalho o Botafogo faz bonito no Estadual. Líder com méritos, o time já provou que joga com raça, um dos fatores positivos e até determinantes para a série invicta na competição.

– Esperamos melhorar contra o Fluminense. Se teve um componente bom na equipe foi a aplicação e o comprometimento com a parte técnica do jogo. Fora isso, o Flamengo foi muito superior. A entrada do Gegê nos deu uma compactação e liberdade para os outros na frente. A saída do Samir foi um ponto também e ainda ontem de madrugada eu estava vendo o jogo. Ainda bem que vencemos porque o indicador foi muito ruim – disse o treinador.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva de René Simões:

O ADVERSÁRIO

– Temos o Fluminense todo mapeado e já analisamos os pontos fortes e fracos. Sabemos o que precisa ser trabalhado. Contra o FLuminense eu quero propor o jogo, se não der nós vamos ver o que vai acontecer. óbvio que não quero espelhar o Fluminense, temos uma forma de joga e vamos fazer o que for preciso.

LONGE DO FAVORITISMO

– O Botafogo vem trabalhando para isso e meus indicadores mostram que não temos um time formado ainda. A aplicação dos jogadores estão fazendo com que os resultados venham, não os indicadores em si. Não concordo que o Botafogo é o time a ser batido, é histórinha para aumentar a tranquilidade aqui. Mas estamos sempre preocupados.

SEM PERDER O COMANDO

– Me preocupou muito pelo fato do Botafogo comandar as ações, o que não aconteceu contra o Flamengo. Nos reunimos todos os dias antes do treino e uma série de fatores nos levaram a pensar o que nos faltou no jogo.

CONFIANÇA É TUDO

– Tem duas coisas que precisamos separar, a auto-estima e a auto-confiança. Os resultados ajudam na auto-confiança, tanto que vencemos o Flamengo. Eles acreditaram o tempo todo que podiam se superar e chegaram ao resultado bom.

FERNANDES

– Eu achei que precisava de muita força e preferi colocar o Dierson e o Gegê. O pensamento foi esse de acordo com as informações do Flamengo e entendemos que era melhor ter um jogador mais forte. O Fernandes não perdeu espaço comigo e continuo achando ele fora de série.

RIVAL SEM CRISE

– O FLuminense tem um belo time. Isso de crise é histórinha e não caímos nessa não. Aqui não contamos histórias prontas e o Botafogo tem que corrigir os erros para pensar no jogo, não na fase do Fluminense.

Fonte: Site oficial do Botafogo