Entre elogios e críticas, o técnico René Simões deixou o Maracanã com a sensação de que o Botafogo poderia ter ido mais longe no clássico com o Vasco da Gama. O treinador aprovou a atuação alvinegra no primeiro tempo, considerou a melhor neste Campeonato Estadual, mas não gostou da forma como o rival argentino Guiñazu se comportou em campo.

“Foi um dos melhores 45 minutos do Botafogo nesses 13 jogos, mesmo levando gol. Mantivemos a média e marcamos um gol, o que me deixa feliz. Enfrentamos um Vasco agressivo, forte. Agora, o Guiñazu quer controlar o jogo o tempo todo e ainda fez uma falta desqualificante”, criticou René, que justificou a escolha por Diego Giaretta na função de volante, na vaga do suspenso Marcelo Mattos.

“O Giaretta foi uma decisão acertada e ele foi o melhor em campo. Se alguém merece nota 9, é ele. Fechei o treino ontem (sábado) pela primeira vez e não queria que isso vazasse. Ele foi muito bem, um fator surpresa. A qualidade dele no passe impressionou. Ainda brinquei com ele: ‘acho que você é volante'”, elogiou o comandante alvinegro.

Excesso de faltas preocupa

O clássico com o Vasco apresentou um número grande de faltas pelo lado do Botafogo (21, contra 10 do rival). O técnico René Simões criticou a postura do time no Maracanã no empate por 1 a 1.

“Sou totalmente contrário a faltas e o Botafogo fez 21. É muita coisa porque o jogo fica ruim, feio. Temos que aprender a marcar sem faltas. O futebol brasileiro precisa aprender isso”, ressaltou.

Jefferson volta da Seleção Brasileira nesta segunda e vai seguir para a Paraíba com a delegação alvinegra. O time encara o Botafogo-PB na próxima quarta e o goleiro titular volta ao gol, mas René Simões aprovou o substituto Renan.

“Ele foi excepcional nesses três jogos e não errou em nenhuma bola. Além disso, o Renan foi muito bem e mostrou liderança. Estou muito tranquilo. A Copa América está batendo na porta, e não teremos o Jefferson em vários jogos”, lembrou o técnico do Botafogo.

Fonte: Terra