Com trabalho intenso realizado em Várzea das Moças, onde o Botafogo realiza sua preparação, o técnico Renê Simões começa a definir o que quer para o time nesta temporada. Espelhado no atual campeão brasileiro Cruzeiro, o técnico busca coragem e ofensividade na equipe. Não sua visão, não há mais espaço para “se acovardar”.

“Quero que meu time tenha 11 jogadores quando tiver a bola e 11 quando não tiver. Não quero o time se acovardando. Tem que jogar como o time grande que é. Eu venho falando e propondo isso. Futebol está sendo jogado assim. O que me deixa feliz, por exemplo, é que o Cruzeiro campeão teve o ataque mais positivo do campeonato. Na minha cabeça, eu copio o Cruzeiro, gosto do jeito que jogam, jogam bonito. O Atlético-MG jogou assim também”, pontuou.

Apesar de buscar o aperfeiçoamento no setor ofensivo, o treinador ressalta a importância de se ter uma defesa sólida. Mais uma vez, ele frisa que o grande reforço do Fogão é a manutenção do goleiro Jefferson: “Liderança? Tem um tal de Jefferson (risos). O grande reforço do Botafogo é o Jefferson. Quando ele chegou aqui, vimos os olhinhos brilhando de alguns jogadores. Ele tem a responsabilidade de liderar esses jogadores e de ser a referência para toda a torcida do Botafogo. O Jefferson é impressionante, até na hora de comer ele tem um nível de excelência”, comentou Renê.

O Alvinegro tem jogo-treino, neste sábado, diante do Gonçalense, no Cefat. Por conta do comprometimento dos jogadores nos treinos desta semana, o grupo ganhou folga no domingo, voltando aos trabalhos apenas na próxima segunda-feira (19).

Fonte: FutNet