Carente desde a saída de Victor Luis, o Botafogo parece ter resolvido seus problemas com a chegada de Moisés. Sem espaço no Corinthians e fora de combate desde agosto, o jogador foi anunciado no dia 20 de fevereiro e, 48 horas depois, já havia assumido a titularidade do Alvinegro na estreia da Taça Rio contra o Nova Iguaçu.

A impressão criada após os dois primeiros jogos foi muito boa. Insatisfeitos com as atuações de Gilson, os torcedores não demoraram para gritar o nome de Moisés. Além de seguro na defesa, o jogador mostrou qualidade com a bola nos pés. Prova disso foram os dois chapéus aplicados em rivais – um em cada partida.

Os lances foram de personalidade, a mesma demonstrada diante dos microfones. Em sua apresentação, ele disse que não falaria sobre suas qualidades, mas que mostraria em campo. Após duas boas apresentações, ele manteve o patamar de confianças nas entrevistas.

“Gosto de dar chapéu. Quando era pequeno, nas peladas de casa e na rua, gostava de dar chapéu. Mas é um chapéu com responsabilidade [risos]. Deu certo nos dois. Bom ter ajudado meus companheiros assim”, disse Moisés após vitória sobre a Cabofriense no Nilton Santos. “Dou um chapéu confiante que vai dar certo, isso é um chapéu com responsabilidade. Não é tipo: “vou dar um chapéu, sei que vou perder e vou tentar” [risos]. Não, eu tentei porque sabia que ia dar certo”, completou.

E o início de Moisés veio em hora certa para o jogador, muito criticado pela torcida do Corinthians. A maioria dos comentários sobre o lateral esquerdo é de surpresa com o bom momento do atleta com a camisa do Botafogo.

Afinal, qual é o verdadeiro Moisés? O lateral esquerdo comenta sobre a evolução que apresentou desde que chegou ao Botafogo. Segundo ele, a expectativa é de melhorar ainda mais com o passar do tempo e maior entrosamento com os novos companheiros.

“O primeiro jogo eu estudei em casa, estou desde agosto sem fazer partida oficial, mas treinando firme. Fiquei surpreso de aguentar os 90 minutos, mas aos poucos vou ganhando ritmo nos treinos e jogos. Hoje pude me soltar mais um pouco e me apresentar mais ao ataque. É ritmo de jogo. Quanto mais eu tiver sequência, vou melhorando, e o torcedor e os companheiros de trabalho vão me conhecendo”, concluiu.

Neste sábado, às 17h, ele terá o primeiro grande teste com a camisa do Botafogo, que medirá forças com o Flamengo, no Nilton Santos.

Fonte: UOL