Em determinado momento, Roger era o principal alvo das desconfianças dos torcedores botafoguenses. No entanto, vem calando as críticas no Brasileirão e hoje é um dos jogadores mais importantes da equipe treinada por Jair Ventura.

Uma importância que tem como ponto principal o gol [Roger é o artilheiro do Glorioso, com 6 bolas nas redes], mas que não depende apenas dele. A vitória por 2 a 1 sobre o Sport, segunda-feira (18), que colocou o time no G-6, foi um atestado disso e uma amostra aos críticos que acreditam que a importância do camisa 9 se resume apenas ao finalizar as jogadas.

“Você pensa no 9, pensa em um cara perto da área, mas no futebol tem situações que é necessário voltar. Ele acaba participando disso e faz bem. É importante ele jogar sem a bola para quebrar a defesa adversária”, avaliou o técnico Jair Ventura após a vitória.

Embora tenha participado de forma ilegal no gol anotado por Rodrigo Lindoso [em posição irregular, Roger acabou participando sem querer da jogada], o centroavante alvinegro ajudou a decidir. A partida estava empatada em 1 a 1 quando Roger recuperou uma bola no meio-campo e, pressionado por três marcadores, deu um belo passe para Guilherme fazer o 2 a 1 que sacramentou os três pontos do Botafogo.

Ainda que a equipe tivesse outros destaques contra o Sport – como Rodrigo Lindoso, que dominou o meio de campo, e o próprio Guilherme -, Roger apareceu como jogador que mais criou chances de gol [4].

No entanto, o dado que pode encerrar por hora qualquer tipo de crítica ao jogador é a sua participação em metade dos gols alvinegros no Campeonato Brasileiro. Se o Botafogo estufou as redes adversárias 16 vezes, em oito delas Roger teve participação direta: além dos 6 gols, ainda soma duas assistências.

Com a fase boa, e a vitória assegurada, fica mais fácil para o sempre passional torcedor notar a importância do camisa 9 sem a bola. Em um time que tem o seu modelo de jogo baseado na reação, Roger não fica parado dentro da área: se coloca mais perto de quem está atrás dele, e talvez por isso não tenha conseguido chegar com tanto perigo ao ataque adversário nos meses iniciais do ano. Mas, dentro do estilo que o time lhe pede, ele vem respondendo. E muito!

Fonte: Goal.com