Botafogo faz nessa quinta-feira (6) a primeira partida das oitavas de final da Conmebol Bridgestone Libertadores diante do Nacional-URU. A equipe chega com a confiança nas alturas após a pré-Libertadores e a fase de grupos surpreendente.

Nesse especial preparado pela VAVEL Brasil, vamos relembrar a campanha do Alvinegro carioca na competição sul-americana. Vitórias magníficas, gols espetaculares, decisões de pênalti e muita emoção.

Desbancando campeões e favoritos na pré, Botafogo chega à fase de grupos

A estreia do Botafogo teve emoção e crueldade com o coração do torcedor presente no Estádio Nilton Santos. O Colo-Colo, tradicionalíssimo clube chileno e campeão da Libertadores, era o rival da noite. Jogo duro? Difícil? O time de Jair Ventura ignorou todos os números e superstições nos primeiros 45 minutos.

Airton, com um golaço do meio da rua, e Pavez contra, após a insistência de Rodrigo Pimpão, fizeram o Glorioso ir com vantagem e confiança para o vestiário. O segundo tempo já não foi dos mais agradáveis. Após chute de Paredes, a bola desviou em Emerson Silva e matou Gatito. O Colo-Colo acordou e pressionou, mas sem sucesso.

No jogo de volta, em Santiago, um drama. O primeiro da competição. Aos 3 minutos de jogo Emerson Silva fez contra e o 1 a 0 para os chilenos eliminava a equipe brasileira. O drama se estendeu até os 36 do segundo tempo quando Rodrigo Pimpão dez o gol da classificação. Primeiro passo dado.

(Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)
(Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

A segunda fase foi mais emocionante do que era previsto. O Olímpia-PAR, tricampeão da América, era o rival. A ida no Nilton Santos foi tranquila apesar do curto placar. Um golaço de bicicleta de Rodrigo Pimpão deu a vitória ao Botafogo.

A volta no Denfensores del Chaco foi daquelas para testar o coração de qualquer alvinegro. Depois de um jogo catimbado e pegado, Montenegro fez aos 35 do segundo tempo e colocou drama na vida dos alvinegros. Apesar da pressão, a bola não entrou e a partida foi para os pênaltis. Nas penalidades, ele, que havia entrado no decorrer do segundo tempo, brilhou. Gatito Fernandez pegou três cobranças e levou o Botafogo à fase de grupos da competição.

(Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)
(Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

No grupo da morte: liderança e soberania

A estreia contra o Estudiantes-ARG foi excelente, com direito a gol de bicicleta de Roger. No segundo jogo, contra o atual campeão, o Atlético Nacional-COL, uma vitória espetacular no Atanasio Girardot. Camilo e Guilherme fizeram o Glorioso voltar a vencer fora após 24 anos em Libertadores.

Os dois jogos contra o Barcelona-EQU foram tensos. Em Guayaquil, tenso empate em 1 a 1 com gol de pênalti de Sassá no fim. No Rio, o baque e a classificação adiada. Ayoví e Alvéz garantiram a vitória do Barcelona em pleno Nilton Santos em um jogo repleto de falhas do Botafogo.

No penúltimo jogo, a classificação. Um jogo tenso e com o Nilton Santos lotado, a vitória suada diante do Atlético Nacional, com gol de Pimpão, garantiu a classificação do Botafogo para a tão sonhada fase de oitavas de final. Apesar da derrota para o Estudiantes na última rodada, o Glorioso garantiu a liderança do grupo.

(Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)
(Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Desconfiança, insegurança, um time subestimado por muitos. O Botafogo passou por cima de tudo isso e chegou a fase de oitavas de final. O primeiro passo para o título acontece nessa quinta-feira (6), às 21h45, no Parque Central em Montevidéu.

Fonte: Vavel