Com o gol marcado na vitória por 2 a 1 sobre o Resende, Luis Henrique encerrou um jejum que se arrastava desde setembro. A demora para desencantar tem justificativa: frequentemente isolado na área, o atacante encontra dificuldades para segurar a bola até os companheiros se aproximarem.

O principal candidato a fazer companhia a Luis Henrique ainda não atuou em 2016. Neilton, recuperado de uma lesão na coxa esquerda, faz um trabalho de fortalecimento muscular e pode voltar ao time neste domingo, contra a Cabofriense.

— Na minha posição, atuo muito de costas. Ter alguém se aproximando é importante para fazer tabela. Eu me adaptei a estar sozinho na área, mas ter jogadores por perto é muito melhor — afirmou Luis Henrique.

Para tentar solucionar a falta de consistência do meio-campo, o técnico Ricardo Gomes abandonou o 4-2-3-1 das primeiras rodadas do Estadual e formou uma trinca de volantes durante os treinamentos da semana em General Severiano.

Nesta nova formação, Airton funciona como um primeiro volante clássico, à frente dos zagueiros, e Bruno Silva e Rodrigo Lindoso têm mais liberdade para se aproximar dos meias Gegê e Gervasio Núñez.

É também uma forma de o argentino conseguir infiltrar na área para tentar repetir lances como o que originou o primeiro gol alvinegro no Estadual. Nos últimos jogos, Gervasio, escalado nas pontas, não conseguiu render.

— Ricardo gosta de mexer e não ter apenas uma formação disponível. É bom para surpreender os adversários — disse Luis Henrique.

Além do retorno de Neilton, Ricardo Gomes terá em breve uma nova opção para o setor ofensivo: o uruguaio Juan Salgueiro, que treinou normalmente nesta quinta-feira. O técnico já afirmou que pretende usar o veterano como um meia de chegada ao ataque, e não na função de 9.

Fonte: Extra Online