Novo reforço do Botafogo, o lateral-esquerdo Moisés, que chega por empréstimo até o fim do ano, do Corinthians, é um velho conhecido do volante Rodrigo Lindoso. Eles foram campeões da Taça Rio de 2015, ano em que o tradicional torneio foi disputada só por equipes mais modestas. Em entrevista coletiva no início da tarde desta segunda-feira, o meio-campista contou que recebeu telefonemas do amigo, que pediu recomendações.

– Ele me ligou e eu contei que é um grupo bom. Dirigente? Não, nenhum me procurou para pedir opinião. Sei é que ele vai chegar e ajudar muito o grupo. Nós jogamos juntos no Madureira, éramos um dos líderes do elenco e fomos campeões da Taça Rio – contou Lindoso, sem saber que o lateral já esteve nesta segunda-feira no Nilton Santos, mas não teve contato com o grupo.

O volante comentou ainda sobre a pouca utilização neste início de ano. Dos sete jogos do Botafogo em 2018, ele foi relacionado para quatro, em um não jogou e em três entrou no segundo tempo. Lindoso, que era titular em 2017, não sofreu com lesões, admite que ‘ é difícil’, mas diz entender o ex-treinador Felipe Conceição.

– Não é o meu pior momento sem jogar aqui, não. Quando eu cheguei, em 2015, fiquei um tempo até poder jogar. É difícil, mas temos que respeitar as escolhas dos treinadores. É seguir trabalhando – disse, antes de se esquivar ao ser perguntado se ele acha que terá mais espaço com o novo treinador, Alberto Valentim, afinal, ele pode optar por um time com mais volantes.

– Cada treinador tem as suas características. Sempre que há essas mudanças, a gente se motiva. O Alberto está trabalhando forte, passando a filosofia dele de trabalho sem atropelar os momentos – finalizou.

Com ou sem Lindoso no meio-campo, o Botafogo volta a campo na próxima quinta-feira, às 19h30, contra o Nova Iguaçu, em Edson Passos, pela primeira rodada da Taça Rio.

Fonte: Terra