Enquanto a torcida do Botafogo comemorava mais um passo dado para a entrada dos irmãos Moreira Salles no clube, chegava a bomba da saída de Erik. O Palmeiras acertou o empréstimo do atacante para o Yokohama Marinos (JAP) até o fim de 2020, e o xodó da torcida alvinegra se despediu emocionado na última sexta-feira.

‘Esse jogo vai virar, eu quero ser o vencedor!’
⬇ Não perca Atlético-MG x Botafogo! ⬇
Acredite na virada AO VIVO e DE GRAÇAComo assistir Atlético-MG x Botafogo ao vivo pela Copa Sul-Americana

Substituto do camisa 11 no clássico do último domingo contra o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro, Rodrigo Pimpão afirmou que espera que a história de Erik seja como a dele. Pimpão deixou o Botafogo em julho de 2015 após receber uma proposta irrecusável do Emirates Club, dos Emirados Árabes, e retornou ao Alvinegro menos de um ano depois, em maio de 2016.

– O Botafogo me acolheu muito bem na Série B (em 2015) e saí de graça, abri mão da minha porcentagem, o Botafogo ficou com esse valor, fui e acabei voltando de graça para o Botafogo depois. Espero que seja um até logo do Erik também, porque é um clube com o qual ele se identificou muito – disse Pimpão, entendendo a saída repentina do agora ex-companheiro.

– A oportunidade passa na nossa carreira, é relâmpago, e se tiver uma chance de ir para fora do país… Já joguei lá (no Japão), é uma cultura muito legal, um campeonato muito bom de se jogar, é a hora certa dele ir.

Pimpão herdou a camisa 11 no clássico contra o Flamengo e surge como primeira opção do técnico Eduardo Barroca para a posição, mas deixou claro que não se considera titular absoluto.

– A oportunidade está aí. Não digo que sou titular, nosso elenco é grande, há outros brigando diariamente por posição, mas espero demonstrar sempre meu melhor para que o Barroca possa contar comigo – frisou.

Fonte: Redação FogãoNET