Roger agora quer lutar contra o câncer na política: ‘Fui curado porque tive tudo’

Compartilhe:

Curado do tumor no rim direito – diagnosticado como benigno -, o atacante Roger já cogita desistir da ideia de virar técnico após se aposentar dos gramados. O jogador do Botafogo volta aos treinos em um mês e deve renovar o contrato com o clube por mais duas temporadas. Depois disso, a ideia é a de entrar para a política.

A doença que enfrentou tem tudo a ver com a ideia, já que Roger teve o aparato necessário para alcançar a cura. Hospital e médicos de ponta foram fundamentais no tratamento. Mas, boa parte da população, sofre com problemas relacionados ao câncer e não encontra tratamento adequado, além das infinitas filas para a realização de exames.

“Essas pessoas precisam de ajuda. É fundamental ser diagnosticado antes. Quero ajudar o país. Você só tem a noção de uma situação dessa quando começa a tomar partido das coisas. Fui curado porque tive tudo. Fui diagnosticado antes, tive hospital e médicos excelentes. Mas tem gente que não tem isso”, afirmou.

“São milhares de pessoas esperando para fazer um exame há seis meses. Isso é inaceitável. Farei o que puder para ajudá-las. Estou muito ligado nisso. Quero que tenham a chance que eu tive. Alguma coisa precisa ser feita nesse país. Vocês [jornalistas] terão novidades sobre isso em breve”, completou.

Roger concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira (11) ao lado do médico Raphael Rocha, responsável pela cirurgia no rim direito. O atacante se emocionou ao falar sobre a lesão benigna e a volta ao futebol. Ainda em recuperação, ele treinará em um mês e sonha em jogar na última rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Cruzeiro, no Nilton Santos (Engenhão).

Fonte: UOL

Comentários