Com a saída de Roger para o Internacional praticamente confirmada, as necessidades do Botafogo para 2018 começam a ficar mais claras. Além de lateral-esquerdo, atacante de lado e meias, o time precisará também de um centroavante para o time titular do ano que vem.

Embora contestado no início, Roger é o artilheiro do time na temporada, com 17 gols. Ele tem uma média de 0,35 gol por jogo.

Desde que ele se afastou dos campos para tratar um tumor no rim, Brenner, contratado no meio da temporada, passou a ser o titular da função. Embora tenha tido um bom desempenho nos primeiros jogos, ele caiu na reta final e ficou no banco de reservas contra o São Paulo. Sua média de gols já é menor que a de Roger: 0,28/jogo (18 jogos e cinco gols).

O Alvinegro, agora, busca um jogador para a posição que possa brigar pela vaga com Brenner. Algumas opções estão sendo avaliadas, mas o clube busca um atleta que tenha custo baixo.

O atacante André Luis, do Santa Cruz, é uma das opções, mas o negócio depende do valor, conforme afirmou Alírio Moraes, presidente do clube, ao “Diário de Pernambuco”: “Está encaminhado. O destino final deve ser o Botafogo, mas estamos vendo ainda. Talvez, eles não tenham o recurso que a gente pediu”, disse ele.

As finanças, aliás, são o motivo pelo qual o Alvinegro não conseguiu manter Roger: ele pediu um salário de cerca de R$ 250 mil e o clube considerou excessivo. Corinthians e Internacional, então, fizeram ofertas maiores e o clube gaúcho acabou levando a melhor.

Fonte: Extra Online