O torcedor botafoguense recorda bem da data de 18 de abril de 2010, Após ver seu time perder dois cariocas seguidos para o arquirrival Flamengo, os alvinegros vieram a forra, há exatamente 8 anos.

Com gols de Herrera e Loco Abreu, contra um de Vágner Love, o Glorioso conquistou a Taça Rio, antecipando o título de campeão carioca, uma vez que já havia conquistado a Taça Guanabara.

O torcedores.com mostra aqui por onde andam os principais jogadores daquela conquista.

JEFFERSON (goleiro) – Revelado pelo Cruzeiro, o paulista Jéferson, de 34 anos, é um dos maiores ídolos da história alvinegra. Em sua segunda passagem pelo Glorioso, desde 2009, só não tem mais jogos do que Nilton Santos, Garrincha e Valtencir, pela agremiação. Nos últimos dois anos tem sofrido com lesões, voltando ano passado. Contudo hoje tem a concorrência do ótimo Gatito. É o único remanescente de 2010 na instituição.

ANTÔNIO CARLOS (zagueiro) – Jogador versátil, joga de lateral, líbero e zagueiro. No jogo da final, formou a trinca de zagueiros com Fábio Ferreira e Fahel. Hoje aos 34 anos, defende o Brusque-SC, após atuar em mais de dez equipes. É um dos zagueiros com mais gols na história do Brasileirão, com 28 gols.

FÁBIO FERREIRA (zagueiro) – Aos 33 anos, defende o Criciúma. Revelado pelo Timão, estava no elenco campeão brasileiro em 2005 com o Corinthians. Pelo Botafogo teve destaque em dois momentos decisivos: Foi o autor do gol do título da Taça Guanabara, e sofreu o pênalti que ocasionou o primeiro gol do título contra o Flamengo, que valeu a Taça Rio, antecipando o título do Campeonato Carioca em 2010.

ALESSANDRO (lateral-direito) – Aos 40 anos, é auxiliar técnico do Sub-15 do Atlético-PR, clube com o qual teve a maior identificação na carreira.

LEANDRO GUERREIRO (volante) – Um dos líderes daquele time, hoje aos 39 anos, está aposentado. Além do título carioca, Guerreiro foi campeão mineiro vestindo as camisas de Cruzeiro e América.

FAHEL (volante) – Conterrâneo de Fred- ambos nasceram em Teófilo Otoni, como o centroavante do Cruzeiro, também começou a carreira no América-MG. O volante que hoje tem 36 anos, jogou pela última vez no ano passado, pelo Juventude. Chegou ao Botafogo a pedido de Ney Franco, que também o treinou no Ipatinga e AtléticoPR. ídolo no Bahia, foi contestado no alvinegro carioca, mas teve sua importância tática na reta final, inclusive jogando de zagueiro no 3-5-2 de Joel Santana.

TÚLIO SOUZA (volante e meia) – Aos 35 anos, já pendurou as chuteiras. É parceiro de Victor Ferraz, num projeto social na Paraíba.

RENATO CAJÁ (meia) – Aos 33 anos, está sem clube, após ser dispensado pela Ponte Preta no ano passado.

SOMÁLIA (volante e meia) – Aos 34 anos, encontra-se sem clube, após sair do América-RN, clube pelo qual saiu para jogar pelo Botafogo na época. Em 2011 o jogador provocou uma situação inusitada: Forjou um sequestro para não ser multado por conta da falta a um treinamento.

HERRERA (atacante) – Atacante de muita raça, jogou por mais de dois anos no Fogão. Aos 34 anos, após passagens por várias equipes, dentre elas, Vasco, Corinthians e Grêmio, está de volta ao Rosario Central, clube que o revelou.

LOCO ABREU (atacante) – Folclórico de decisivo, foi o jogador de mais destaque naquela conquista. Aos 41 anos, é o jogador que mais defendeu equipes profissionais no planeta, completando o número de 26 com o Audax Italiano, clube que enfrentou o Botafogo na semana passada, pela Copa Sul-Americana. Abreu entrou no segundo tempo, mas não impediu a derrota para o Glorioso.

CAIO (atacante) – Talismã do Botafogo em 2010, quando fazia gols decisivos ao entrar no decorrer dos jogos. Hoje, aos 27, é ídolo no Al Was, dos Emirados Áreabes, onde atua desde 2015.

EDNO (atacante e meia) – Não fica muito atrás de Loco Abreu na vida cigana no futebol. Aos 34 anos, joga pelo Moreirense, de Portugal. Ano passado foi campeão da Série B pelo América-MG.

MARCELO CORDEIRO (lateral-esquerdo) – Aos 36 anos, o lateral joga a Série C pelo São Bento de Sorocaba.

LUCIO FLAVIO (meia) – Ausente no jogo decisivo, era um dos principais jogadores do alvinegro. Era um ótimo cobrador de faltas. Foi campeão carioca também em 2006 pelo clube da estrela solitária.

JANCARLOS (lateral-direito) – Vítima aos 30 anos num acidente automobilístico no ano de 2013, em Itaipava, serra fluminense. Após jogar por equipes como São Paulo, Cruzeiro e Atlético Paranaense, atuou por último no capixaba Rio Branco, no ano de sua morte.

Fonte: Torcedores.com