retomada do Botafogo atende pelo nome de Jefferson. O goleiro da seleção brasileira é prioridade absoluta da diretoria na reformulação do elenco. Mas como manter um jogador cobiçado no mercado e que atua em um clube abalado pela crise financeira? O Alvinegro assegura ter a resposta e anseia pelo “fico” do principal nome do time.

Jefferson tem contrato até o fim de 2015. Teoricamente, ele cumpriria o compromisso em condições normais. Entretanto, o salário em torno de R$ 300 mil e a dívida de R$ 2 milhões do Botafogo com o goleiro são facilitadores para uma possível transferência.

Com o desejo de driblar os problemas, a diretoria aguarda acordos envolvendo parcelamentos de dívidas para oferecer um novo contrato até 2017 ao goleiro. A principal promessa envolve o pagamento dos salários em dia. Contar com Jefferson é fator primordial em um ano de reestruturação e de dificuldades após o rebaixamento para a Série B.

“O Jefferson é o ícone da retomada. O goleiro titular da seleção brasileira ficar no Botafogo para disputar a Série B será o passo definitivo para a entrada na galeria dos grandes ídolos do clube. Não imagino o trabalho sem ele. Vou lamentar muito se a permanência não for possível”, afirmou o técnico René Simões.

Apesar de um certo receio, o otimismo é grande em General Severiano para a manutenção do goleiro. O Botafogo se apoia em projetos de marketing e parceiros que ajudem a manter em dia os salários do ídolo da torcida. A expectativa é a de que Jefferson acene positivamente tão logo a proposta seja apresentada.

“Temos algumas situações bem encaminhadas na questão financeira. O Jefferson ainda tem vínculo, mas queremos o jogador satisfeito no Botafogo. Vamos melhorar o contrato e fazer tudo o que for possível para que ele nos ajude no retorno à elite do futebol brasileiro em 2015”, encerrou René Simões.

Fonte: UOL