Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Série B

26/06/21 às 16:30 - Castelão

Escudo Sampaio Corrêa
SAM

X

Escudo Botafogo
BOT

Série B

20/06/21 às 16:00 - Aflitos

Escudo Náutico
NAU

3

X

1

Escudo Botafogo
BOT
Ler a crônica

Série B

17/06/21 às 19:00 - Do Café

Escudo Londrina
LON

2

X

2

Escudo Botafogo
BOT
Ler a crônica

Sassá tem duelo particular com Fred e Robinho pela artilharia do Brasileirão

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

O duelo deste domingo entre Botafogo e Atlético-MG é fundamental para as pretensões das equipes neste Campeonato Brasileiro. Enquanto os cariocas buscam a afirmação no G-6, os mineiros ainda sonham com o título. Mas há outra disputa em jogo na Ilha do Governador: a artilharia da competição. Agora, ela é compartilhada por Sassá, Robinho e Fred, além do palmeirense Gabriel Jesus: cada um já balançou as redes 11 vezes.

Os adversários de Sassá, a partir das 17h, certamente têm mais grife: com status de craque, já atuaram na Europa, defenderam a seleção brasileira… Mas, neste Brasileiro, o atacante do Glorioso pode se gabar de ser bem mais eficiente. A cada 90 minutos, o atacante do Botafogo obriga os goleiros a buscar a bola no fundo da rede. Já Robinho precisa de 167 e Fred, de 199.

— Uma vez encontrei o Robinho no aeroporto e falei: “Deixa a artilharia para mim, tenho dois filhos para criar” — diverte-se Sassá, que tem o estilo mais parecido com o do camisa 99: — Admiro o Fred, que é um centroavante de muita qualidade. Até tento me espelhar nele.

Ainda restam oito rodadas para esta disputa particular, mas o artilheiro alvinegro já se sente realizado. No início do ano, tinha como meta marcar dez vezes. Já fez isso em 13 oportunidades — duas delas foram pela Copa do Brasil.

O feito de Sassá se torna ainda mais significativo se levada em conta sua trajetória na temporada. Depois de passar os quatro primeiros meses do ano tratando uma grave lesão, lidou com outros problemas musculares ao longo do Brasileiro. Também por isso, a grande fase tem um sabor especial:

— Estou levando da forma mais tranquila possível, surfando essa onda. Artilheiro ou não, fico feliz, porque estou jogando e o Botafogo está bem.

Notícias relacionadas
Comentários