O meia Seedorf não descarta ter que tomar, ao lado do Bom Senso, a iniciativa de iniciar uma greve no futebol brasileiro em 2014, dependendo do andamento das conversas com a CBF sobre as sugestões do movimento para o futebol nacional.

O holandês foi um dos palestrantes desta terça-feira no Footecon, no Rio, e afirmou esperar que seja necessária a paralisação.

– Sou a favor de crescimento e mudança para melhorar as coisas. Tudo o que for preciso, tem que ser feito. Somos trabalhadores como vocês. Então se na conversa não se consegue, outras situações vão ter que ser feitas. Existe uma disposição para o diálogo da parte de jogadores e clubes e espero que não chegue a esse ponto. Mas já vimos que, para ter certas mudanças, de vez em quando é preciso tomar atitudes mais fortes – disse Seedorf, que optou por não falar sobre a mudança de técnico no Botafogo.

Durante o evento, o meia fez uma proposta de calendário, com o Brasileirão começando em fevereiro, sem acabar com os Estaduais. Nesse contexto, Seedorf ressaltou a união dos jogadores em prol do entendimento.

– Os jogadores estão bem juntos. Paulo André está liderando, mas são mais de 700 atletas. A CBF tem muito a fazer. Acho que o diálogo que está tendo é construtivo. Acho que algumas decisões precisam ser tomadas. Estou dando meu apoio, porque o movimento é positivo – completou.

Fonte: Lancenet!