“É um grupo ponta firme”. Alberto Valentim elogiou o elenco do Botafogo logo em seus primeiros dias no clube, com uma expressão pouco usual no Rio, mas que sintetiza o que o time alvinegro precisa ter hoje, a partir das 21h45 (de Brasília), contra o Audax Italiano, no Nilton Santos: ser consistente e confiável no duelo de volta e válido pela primeira fase da Copa Sul-Americana.

A equipe de Valentim possui uma vantagem considerável alcançada no Chile, em abril. Venceu por 2 a 1, com gols de Brenner e Rodrigo Pimpão, e, por isso, avança no caso de empate e derrota por 1 a 0. No entanto, a margem no placar agregado pode ser um fator que jogue contra os mandantes, algo que o capitão Rodrigo Lindoso quer “deixar de lado” para assumir a frente da peleja.

– Não podemos pensar em entrar em campo acreditando que o empate seja suficiente, ainda mais jogando em casa, quando a responsabilidade será sempre nossa. O que aconteceu no primeiro jogo deve ser deixado de lado para que a gente possa se aproximar da vaga. Quem entra em campo pensando em outro resultado que não seja a vitória dá um passo para acabar perdendo o jogo. A nossa filosofia é a de buscar sempre o resultado positivo e não vamos mudar isso contra o Audax – salientou Lindoso.

– É uma vantagem perigosa, tem dois gols fora de casa, e um gol casual deles torna tudo perigoso. Temos que ter muito respeito a eles, que têm uma rápida transição para o ataque, e dar chance zero a eles – alertou Marcinho, na mesma linha do volante, em entrevista coletiva na última terça.

Sem a presença de Loco Abreu, que ficou no Chile por conta de um polêmico episódio com a torcida, o Audax Italiano vive péssima fase na temporada. Até aqui, os chilenos só venceram uma vez em 13 partidas, sendo que o triunfo se deu no fim de fevereiro, pelo nacional. Ou seja, a oportunidade é ideal para que os comandados de Valentim repitam a final do Carioca e ratifiquem que são “ponta firme”, agora na sua casa.

Fonte: Terra