A burocracia para a volta ao Ato Trabalhista vem atrapalhando os planos da nova diretoria do Botafogo e consequentemente de seus funcionários. No clube, o último mês em que viram a cor do dinheiro foi novembro e a única coisa que entrou foi metade do décimo terceiro, depositada na quinta-feira. A outra parte foi prometida para antes do carnaval.

“Ninguém está nos ajudando. A situação está difícil. Quem pode fazer bicos tem feito para entrar alguma coisa em casa”, afirmou um funcionário que pediu para não ser identificado.

A situação revolta os funcionários ainda mais porque os novos jogadores do futebol tiveram seus salários adiantados para a nova diretoria mostrar seu compromisso em pagar em dia. No entanto, os atletas que estavam no Alvinegro no ano passado não tiveram sua situação regularizada.

Outra fonte de receita, o patrocínio da Guaraviton também não entrou nos cofres alvinegros por problemas burocráticos. O clube está estampando na camisa seu programa de sócio-torcedor enquanto o dinheiro, retido por causa de penhoras, não é liberado.

Fonte: O Dia Online