Sérgio Manoel vira vendedor de relógios nos EUA e sonha em voltar ao Botafogo

Compartilhe:

Se você não quer perder a hora, pode procurar o ex-meia Sérgio Manoel, campeão brasileiro com o Botafogo em 1995. Isso porque ele agora trabalha com venda de uma marca de relógios em Miami, nos Estados Unidos.

O ex-jogador chegou a trabalhar anteriormente com o ramo de telefonia celular na Flórida, mas se deu bem ao atuar como representante da marca Invicta e tem trabalhado para exportações para o Brasil e China. Só tem saudades do país de origem.

“Deu certo (o negócio), os relógios se encaixaram bem no mercado. Tenho muitos pedidos daqui para o Brasil e China. Mas estou vivendo  em um lugar que não tem esse calor humano que é o Brasil, com arroz e feijão todo dia. Mas tem segurança e tranquilidade”, falou.

Conta que passou a trabalhar com relógios depois de bater o olho no pulso de um amigo brasileiro. Pensou então que poderia sugerir para a empresa, em Miami, tentar entrar no mercado brasileiro. E se colocou à disposição como representante para agilizar essas vendas.

“Bati o olho no relógio desse amigo uma vez no Rio de Janeiro. Eu e ele acabamos fazendo uma pesquisa juntos e vimos que havia mercado no Brasil. E eu gosto de relógios, tenho coleção. Então foi fácil sair do ramo de celular para esse. Celular não me dava prazer”, contou.

Sérgio Manoel diz que pouca gente do futebol sabe que está trabalhando com relógios e não vê essa classe como potencial de consumo para seus produtos. “Eu vou ser sincero, sou bem discreto com a minha vida pessoal. Só realmente os meus amigos íntimos sabem o que eu estou fazendo aqui. Divulgo muito pouco isso no meio do futebol . Lá tem muita gente meio ´oba oba´ e achei que seria difícil de entrar com essa marca entre eles”, afirmou.

Apesar de se dizer estabilizado em sua profissão, Sérgio Manoel diz que sente falta do futebol e projeta abrir uma escolinha em Miami. Com planos mais ousados a longo prazo, sonha até trabalhar no Botafogo, um de seus clubes do coração, ao lado do Santos.

“Tenho sim (vontade de trabalhar com futebol). Eu estou esperando alguns amigos que virão morar que para montar uma escolinha de futebol. Agora, para trabalhar dentro do futebol profissional teria que ser no Botafogo. Eu nunca vou deixar de gostar de futebol”, contou.

A preferência seria por atuar como uma espécie de cartola que estivesse sempre com o grupo. “Eu gostaria de estar no vestiário, transmitir a experiência que vivi em campo.”

Sérgio Manoel teve três passagens pelo clube carioca, onde venceu, além do Brasileiro de 1995, o Torneio Rio-São Paulo de 1998. Encerrou a carreira em 2009, então com 37 anos, no homônimo do clube carioca baseado no Distrito Federal.

Fonte: UOL

Comentários