A torcida do Botafogo comemorou bastante a contratação de Walter Montillo, tietou o meia no aeroporto e a imprensa considera o novo camisa 7 alvinegro como uma das principais contratações do futebol brasileiro até o momento. Entretanto, muita gente levantou a seguinte questão: é possível escalar o argentino ao lado de Camilo?

O questionamento é lógico: ambos são meias de criação, costumam jogar mais centralizados. Como nunca foram conhecidos pela alta velocidade, é difícil imaginar que um deles possa ser deslocado para a ponta. Até porque, além de estarem na casa dos 30 anos, é uma característica que não está em seus maiores atributos.

Jair Ventura, treinador que terá a missão inicial de fazer o time funcionar com os dois criadores de jogadas, sabe disso. Em entrevista para o jornal O Globo, falou abertamente sobre o assunto e mostrou saber como Montillo conseguiu fazer a sua melhor temporada nos últimos três anos em que defendeu o Shandong Luneng, na China.

“O mapa (de calor, que mostra os locais onde o atleta mais esteve presente no gramado) é bem bacana. Está bem dividido, pisando na área também, podendo aparecer na função de atacante ou jogar no meio-campo, nas três posições”, disse o treinador.

No entanto, foi mais centralizado que o novo camisa 7 do Glorioso marcou 13 gols e deu seis importantes assistências para o time. Ao contrário do que aconteceu nas temporadas anteriores, no último ano o Shandong Luneng decepcionou no Campeonato Chinês e lutou para não ser rebaixado. O excelente desempenho de Montillo, principalmente na metade final de seus 36 jogos, ajudou o clube a escapar da degola por apenas dois pontos.

Montillo jogou em sua posição de origem, criando jogadas pelo meio e também fez o papel de segundo atacante – atrás do centroavante de referência. E é exatamente por isso que dá para imaginar o argentino podendo atuar como um ‘Falso 9’, aparecendo no meio para criar e, depois, dentro da área para finalizar a jogada. Em seus melhores jogos no Brasileirão de 2016 Camilo atuou centralizado na criação e avançava para a área, mas também caía bastante pela direita do campo.

4-3-3 na fase ofensiva, com Montillo de “Falso 9” e 4-4-2 na fase defensiva

O ponto positivo deste 4-3-3 que seria formado na fase ofensiva é a movimentação, com o Glorioso contando com o máximo de suas principais cabeças pensantes (na teoria, é claro). A parte ruim é que isso deixaria de fora, em um primeiro momento, centroavantes como Roger e Sassá. Na fase defensiva, um 4-4-2 com Pimpão fechando o lado esquerdo e Bruno Silva cuidando do setor direito – como muitas vezes aconteceu em 2016.

Uma formação com losango no meio de campo em um 4-4-2, no entanto, poderia aproveitar os dois atacantes citados no parágrafo acima – que até o momento são os mais prováveis candidatos à função. Roger por um lado, mais próximo da área, e Sassá correndo por trás, com Montillo e Camilo se alternando na criação enquanto Airton e Bruno Silva ficam mais preocupados com a marcação do adversário.

Fã confesso do 4-2-3-1, Jair poderá encontrar problemas na amplitude de seu time caso opte por colocar somente um centroavante na referência. Afinal de contas, isso jogaria Montillo ou Camilo para o lado do campo (mais provavelmente o camisa 10). Mas é uma formação tão possível quanto o 4-3-2-1, popularmente conhecida como ‘árvore de natal’, que colocaria os dois meias da maneira que mais gostam de jogar: bem atrás do jogador que dá a profundidade ofensiva.

Jair está pensando na melhor maneira de utilizar suas armas, afinal de contas o jogo decisivo contra o Colo-Colo, pela fase de classificação da Libertadores, está chegando. Mas pelo que o treinador botafoguense já adiantou, se não houver sintonia ninguém tem lugar garantido: “Não adianta escalar um jogador por ter um salário mais alto. Vou perder meu grupo, com todo mundo vendo que ele não está bem. Se o (jogador) da base estiver melhor, vai jogar”.

Por isso, é bom que Montillo e Camilo mostrem um bom futebol juntos. É lógico que dá para achar uma solução e escalar ambos em campo… mas daí se vai dar ou não, a resposta virá ao longo dos jogos.

Fonte: Goal.com